sábado, 19 de maio de 2012

Pink Floyd - Dark Side of the Moon


Pense em um disco que está na casa de um terço dos ingleses e até hoje é um dos mais vendidos (se não o mais vendido) em todo o mundo. Imagine que esse álbum trouxe evoluções sonoras nunca antes vistas no mundo da música e, pela primeira vez, explorou todo o potencial dos aparelhos estéreo de alta fidelidade que começavam a se popularizar na Europa no início dos anos 70. Este LP é Dark Side of The Moon, a obra-prima do Pink Floyd.
Em seu oitavo LP, a banda inglesa levou a nível máximo os experimentos sonoras que vinha fazendo desde 1967, quando lançou seu primeiro trabalho, The Piper at the Gates of Dawn. Por coincidência ou não, o disco devolveu o Pink Floyd a um sucesso comercial que só havia atingido no início da carreira, quando ainda eram comandados pelo vocalista/guitarrista Syd Barrett.
Com uma lista de nove clássicos eternos do progressivo - Speak to Me/Breathe, On the Run, Time, The Great Gig in the Sky, Money, Us and Them, Any Colour You Like, Brain Damage e Eclipse - o disco condensou em pouco mais de 40 minutos a aproximação mais fiel de um disco pop à cultura lisérgica e da psicodelia. E, por isso, se tornou mais uma daquelas unanimidades intocáveis no mundo do rock.
Adaptado de http://virgula.uol.com.br/ver/noticia/musica/2010/03/23/243450-entenda-a-importancia-de-dark-side-of-the-moon-disco-do-pink-floyd-que-faz-37-anos .

Estima-se que 1 em cada 14 pessoas com menos de 50 anos, nos EUA tenha uma cópia deste álbum.
O tema de Dark Side of the Moon terá sido em parte precipitado pela saída de Syd Barrett um dos membros fundadores dos Pink Floyd.
O álbum contém alguns dos mais complicados usos dos instrumentos e efeitos sonoros existentes à época, incluindo o som de alguém correndo à volta de um microfone e a gravação de múltiplos relógios a tocar ao mesmo tempo. Uma versão quadrifónica, foi também editada com uma nova mixagem. Durante as gravações os Pink Floyd desenvolveram novos efeitos tais como gravações em duas pistas das vozes e guitarras (permitindo a David Gilmour harmonizar consigo próprio), vozes dobradas e efeitos inéditos para aquela época, como ecos e separação dos sons entre os canais. Até hoje, Dark Side of the Moon é uma referência para os audiófilos que o usam para testar a fidelidade dos equipamentos de áudio.
Outra característica do álbum são os trechos de diálogos entre as faixas. O Pink Floyd entrevistou várias pessoas, perguntando-lhes coisas relacionadas com os temas centrais do álbum, como a violência e a morte. O roadie "Roger The Hat" aparece em mais que uma ("giv'em a quick, short, sharp, shock…", "live for today, gone tomorrow, that's me…"). A frase no fim do álbum "there is no dark side of the moon really… matter of fact it is all dark" é do porteiro do estúdio Abbey Road, o irlandês Jerry Driscoll. Paul McCartney foi também entrevistado mas as suas respostas foram consideradas demasiadamente cautelosas para serem incluídas.
Dark Side of the Moon é o álbum que ficou por mais tempo na Billboard 200, tendo permanecido 795 semanas consecutivas e mais de 1000 semanas no total. pouco mais de 15 anos. O álbum chegou a Nº 1 nos EUA, Bélgica e França, até em 2002, 30 anos após o seu lançamento, foram vendidas nos EUA mais de 400.000 cópias, fazendo do álbum o 200º mais vendido desse ano. Em 2003 mais de 800.000 cópias do híbrido SACD de Dark Side of the Moon foram vendidas apenas nos EUA. "Time", "Money", e "Us and them" foram bastante tocadas nas rádios (sendo o single "Money" um sucesso de vendas também).
Dark Side of the Moon foi editado em "Super Audio Compact Disc" (SACD), com uma mistura de som surround 5.1 DSD a partir das fitas de estúdio de 16 faixas, por ocasião do 30º aniversário do seu lançamento. Tornou-se algo surpreendente o facto de James Guthrie ter sido chamado para fazer a mistura do SACD em vez de Alan Parsons, engenheiro do LP original. Esta edição do 30º aniversário ganhou 4 prémios do "Surround Music Awards" de 2003.

Lenda
Claro que, como toda a lenda, Dark Side of The Moon também conta com uma boa dose de misticismo. A lenda mais comum em torno dele é sua suposta sincronia com o filme O Mágico de Oz: segundo essa teoria, é possível usar o disco como trilha sonora para o clássico longa-metragem estrelado por Judy Garland.
Os integrantes do Pink Floyd na época - o baixista e vocalista Roger Waters, o guitarrista e vocalista David Gilmour, o tecladista e vocalista Richard Wright e o baterista Nick Mason - sempre atribuíram o fato a uma mera coincidência, mas a sincronia da trilha com o filme é realmente muito impressionante...


Versão completa: - ( http://youtu.be/0gXvVUg-VAE )

Comentários de Nick Mason sobre a Lenda Urbana de Mágico de Oz e Dark Side:

Livros
Foram escritos vários livros para relatar e explicar o fenômeno Dark Side. Alguns exemplos em português:

The Dark Side of the Moon - Os Bastidores da Obra-Prima do Pink Floyd (John Harris)

A obra conta os bastidores da produção de "The Dark Side of the Moon", um disco histórico da banda inglesa Pink Floyd que permanece no gosto das mais diferentes gerações e continua a ser ouvido nos lugares mais distantes do mundo.
Trazendo imagens inéditas e entrevistas exclusivas com os integrantes da banda, o livro revela curiosidades e detalhes que envolvem a histórica gravação, como a superação da saída de Syd Barrett, o ambiente no estúdio, a integração das canções para formar um todo homogêneo, os truques tecnológicos para criar sons até então inimagináveis, a sensibilidade para resumir os sentimentos da juventude. Tudo isso e a incrível universalidade dos temas abordados constituem a matéria desse livro, que fornece ao leitor a chave do mistério do lado escuro da lua.
A obra apresenta ainda um apêndice com informações atuais sobre cada integrante da banda, um anexo com fontes e referências bibliográficas.



A Outra Face de The Dark Side of the Moon -  Fábio Massao Yabushita

Uma interpretação junguiana da obra-prima do Pink Floyd     

      Este livro traz uma análise psicológica de um dos mais importantes discos de todos os tempos, o antológico The Dark Side of the Moon, lançado pela banda inglesa Pink Floyd.Fundamentado na psicologia de C. G. Jung, o livro mostra o disco de uma forma nunca antes pensada, buscando desvelar o sentido do lado oculto da lua e seu significado no contexto da obra, enquanto expressão dos dramas e conflitos que afligem o homem contemporâneo.





Filmes


Pink Floyd: Live at Pompeii é um filme de 1972, com Pink Floyd tocando seis músicas no Piazza Anfiteatro em Pompeia, Itália. Foi dirigido por Adrian Maben e gravado sem platéia.
As performances de Echoes, A Saucerful of Secrets e One of These Days foram filmadas entre 4 e 7 de outubro de 1971. As músicas restantes foram filmadas em um estúdio em Paris, com filmagens de projeções frontais adicionais para inserção nas performances gravadas na Pompeia. As sequências em Paris foram filmadas no final de 1971 e começo de 1972, e podem ser distinguidas pela ausência da barba de Richard Wright.

Em agosto de 1974, outra versão foi lançada combinando o filme original com sessões das gravações do Dark Side of the Moon no Abbey Road Studios. Essas sessões foram, na verdade, gravadas para o filme, pois as gravações do álbum já haviam sido completadas quando tais sessões foram filmadas em janeiro de 1973, enquanto o álbum estava sendo mixado.

Palhinha: ( https://youtu.be/b_6hFrzsyd4?list=PLBD85ABCBD5335E19 )


Para conhecer a obra:



O original.
Como não podemos colocar o link, segue uma palhinha (http://youtu.be/d78K4rCEfAo )







Primeiro disco ao vivo do Dark Side, (após seu lançamento) em 1974. Pink Floyd tocando maravilhosamente o álbum, com uma Jam de David Gilmour em Time.

Palhinha ( http://youtu.be/EB0scod1_YE )






22 depois, ainda uma obra prima...

Palhinha ( http://youtu.be/NeIjZKiecRw )




34 anos depois e ainda uma obra prima...

Palhinha ( http://youtu.be/0nploMzYPbc )




V.A. - A Special Tribute To Pink Floyd (2002)
Um tributo muito especial com grandes músicos:

Musicians:

Robin McAuley (Michael Schenker Group, Grand Prix) - Vocals
Doug Pinnick (King's X) - Vocals
Steve Porcaro (Toto) - Keyboards
Mike Porcaro (Toto) - Bass
Jason Scheff (Chicago) - Vocals
Billy Sherwood (Yes, Air Supply, Motorhead) - Guitar, Producer, Engineer, Vocals
Jeff Scott Soto (Yngwie Malmsteen, Panther) Vocals
Philip Soussan (Ozzy Osbourne, Van Halen, Billy Idol) - Bass
Pat Torpey (Mr.Big) - Drums
Derek Sherinian (Dream Theater, Alice Cooper, Billy Idol) - Keyboards
Marco Mendoza ( Ted Nugent, Gary Moore) - Bass
Eric Singer (Kiss, Black Sabbath) - Drums
Richie Kotzen (Mr.Big, Poison) - Guitar
Tommy Shaw (Styx) - Vocals
Fee Waybill (The Tubes) - Vocals
Elliot Easton (Cars) - Guitar
Aynsley Dunbar (Whitesnake, Jefferson Starship, Jeff Beck Group, Journey) Drums
Jimmy Haslip (Yellowjackets) - Bass
Gary Hoey (Tony Franklin) - Guitar
Mike Baird (Journey) Drums
Gregg Bissonette (Santana, David Lee Roth, Steve Vai, Andy Summers) - Drums
Vinnie Colaiuta (Sting) - Drums
Edgar Winter (Edgar Winter Group) - Saxophone
Tony Franklin (Whitesnake, The Firm) - Bass
Bobby Kimball Vocals
Bob Kulick (Kiss) - Guitar, Producer
Bruce Kulick (Kiss) - Guitar
Tony Levin (King Crimson, Peter Gabriel, Pink Floyd) - Bass
Steve Lukather (Toto) - Guitar, Vocals
Ronnie Montrose (Montrose, Gamma) - Guitar
Chris Squire (Yes) - Bass, Vocals
Dweezil Zappa Guitar
Robben Ford (Yellowjackets) - Guitar
Alan White (Yes) - Drums
Scotty Page (Pink Floyd Band) - Saxophone
Glenn Huges (Deep Purple) - Vocals
Jeff 'Skunk' Baxter (Steely Dan, Doobie Brothers) - Guitar


Track List:

1. Money - Tommy Shaw, Ritchie Kotzen, Tony Levin, Mike Beard, Edgar Winter
2. Welcome To The Machine - Doug Pinnick, Gary Hoey, Mike Porcaro, Greg Bissonette, Derek Sherinian
3. Comfortably Numb - Billy Sherwood, Chris Squire, Alan White
4. Shine On You Crazy Daimond - Steve Lukather, Marco Mendoza, Vinnie Colaiuta
5. Us And Them - Jeff Scott Soto, Bob Kulik, Jimmy Haslip, Scotty Page, Pat Torpey
6. Young Lust - Glenn Hughes, Elliot Easton, Tony Franklin, Aynsley Dunbar
7. Run Like Hell - Jason Sheff, Dweezil Zappa, Tony Franklin, Aynsley Dunbar
8. Any Color You Like - Robben Ford, Tony Franklin, Aynsley Dunbar, Steve Porcaro
9. Another Brick In The Wall - Fee Waybill, Ronnie Montrose, Mike Porcaro, Gregg Bissonette
10. Have A Cigar - Bobby Kimball, Bob & Bruce Kulick, Mike Porcaro, Gregg Bissonette
11. Breathe (In The Air) - Rick McAuley, Jeff ‘Skunk’ Baxter, Phil Soussan, Eric Singer


Depois de mais de um ano que fiz este post, achei que valia pena uma correção. O primeiro disco ao vivo do Dark Side of the Moon, aconteceu antes de sua gravação em estúdio, conforme reportagem a seguir:

"Roger, David e Nick, junto com o tecladista Richard Wright trabalharam juntos na criação de material novo, e Roger gravou as primeiras fitas demo em um pequeno estúdio próprio em sua casa em Londres. A banda começou a ensaiar seu material novo em segredo em um pequeno armazém de Londres que pertencia ao grupo Rolling Stones, e depois mudaram para o Teatro Rainbow, na mesma cidade, e aproveitaram a ocasião para comprar novos equipamentos, incluindo amplificadores, uma mesa de mixagem e um conjunto inteiro de iluminação de palco. A banda decidiu realizar um concerto com suas novas canções, antes mesmo de gravá-las, a ser realizado no próprio Teatro Rainbow, e para isso o grupo providenciou que mais de nove toneladas de equipamentos fossem levadas até o teatro, e o novo trabalho foi temporariamente apelidado de The Dark Side of the Moon, mas depois de descobrirem que o título já havia sido usado pela banda Medicine Head, foi decidido que o futuro disco se chamaria Eclipse, mas pouco tempo depois a banda descobriu que o álbum do Medicine Head havia sido um fracasso comercial e o voltaram a usar o nome inicial. Mesmo antes de finalizar a gravação em estúdio, a banda iniciou a turnê The Dark Side of the Moon Tour, que durou de 1972 até 1973 e contou com datas nos Estados Unidos, Canadá e Europa, permitindo que a banda revisse e melhorasse as canções a cada noite; O concerto Dark Side of the Moon: A Piece for Assorted Lunatics foi realizado pela primeira vez no Rainbow em 17 de fevereiro de 1972 com uma plateia formada apenas por jornalistas e críticos, e recebeu avaliações muito boas de quase todos os presentes; Michael Wale, do jornal The Times, escreveu que o espetáculo "trás lágrimas aos olhos", e Derek Jewell, do jornal The Sunday apontou que ambição da banda era "enorme"; por outro lado, a avaliação na revista Melody Maker foi menos favorável, apontando que musicalmente, as ideias eram grandiosas, mas que o efeito sonoro dava a impressão de que as pessoas estavam dentro de uma jaula em um zoológico. As novas canções foram apresentadas quase que na mesma ordem em que foram lançadas no disco posteriormente, mas o som apresentava algumas diferenças quanto ao som lançado mais tarde, principalmente devido a falta de sintetizadores e aos momentos em que eram lidas alguns trechos da bíblia no começo de algumas canções. A banda seguiu fazendo pausas estratégicas na turnê para realizar as gravações em estúdio, realizando o último concerto novamente no Teatro Rainbow em 4 de novembro de 1973."

Segue aqui, o mais próximo que cheguei da primeira versão ao vivo do Dark Side of the Moon.



Gravado em Sapporo, Japão, 1972. Tem demos do Dark Side of the Moon.

Faixas:
1 Breathe in the Air
2 Travel Sequence
3 Time Song
4 Violent Sequence
5 Money Song
6 Mortaly Sequence (including the "Dave's Scat Section")
7 The Lunatic Song
8 One of These Days
9 Careful with that Axe Eugene


E para finalizar, um belíssimo álbum que foi lançado bem depois deste post:


DISC 1 - The Dark Side of the Moon Revisited:
01. Speak To Me / Breathe - Adrian Belew (King Crimson) & Alan White (Yes)
02. On The Run - Larry Fast (Peter Gabriel) & Alan White (Yes)
03. Time - Robbie Krieger (The Doors) & Garry Green (Gentle Giant)
04. The Great Gig In The Sky - Rick Wakeman (Yes) & Steve Howe (Yes)
05. Money - Edgar Winter, Bill Bruford (King Crimson) & Tony Levin (King Crimson)
06. Us And Them - Dweezuk Zappa & John Wetton (King Crimson)
07. Any Colour You Like - Robben Ford, Steve Porcaro (Toto) & Aynsley Dunbar (Frank Zappa)
08. Brain Damage - Geoff Downes (Asia) & Robbie Krieger (The Doors)
09. Eclipse - Peter Banks (Yes), Tony Kaye (Yes) & John Wetton (Asia)

DISC 2 - The Wall and Other Classics:
01. In The Flesh? - Adrian Belew (King Crimson) & Keith Emerson (Elp)
02. The Thin Ice - Ian Anderson (Jethro Tull)
03. Another Brick In The Wall (Part 1) - Steve Morse (Deep Purple)
04. Another Brick In The Wall (Part 2) - Fee Waybill (The Tubes)
05. Mother - John Wetton (King Crimson/asia)
06. Goodbye Blue Sky - Steve Howe (Yes/asia)
07. Young Lust - Glenn Hughes (Deep Purple) & Elliot Easton (The Cars)
08. Hey You - Tommy Shaw (Styx) & Steve Lukater (Toto)
09. Comfortably Numb - Chris Squire (Yes) & Alan White (Yes/john Lennon)
10. Run Like Hell - Dweezil Zappa & Keith Emerson (Elp)
11. Shine On You, Crazy Diamond - Steve Lukater (Toto)
12. Welcome To The Machine - Derek Sherinian (Dream Theater)
13. Set The Controls To The Heart Of The Sun - Psychic Tv
14. Careful With That Axe, Eugene - Nik Turner (Hawkwind)
DISC 3 - Roots, Versions And Relatives:
01. Good Question - Snowy White
02. Celestine - Banco De Gaia Feat Dick Parry
03. Love For Living - Clare Torry
04. See Emily Play - The Chemistry Set
05. Birds Of Paradise - Snowy White
06. Arnold Layne - Ss-20
07. The Music Attracts Me - Clare Torry
08. Who Was It? - Hurricane Smith
09. Oh Babe, What Would You Say? - Hurricane Smith
10. Year Of The Cat - Al Stewart
11. Scream Thy Last Scream - The Green Telescope
12. The Boll Weevil - Pink Anderson
13. Runaway Man Blues - Floyd Council
14. Pink Floyd Interview - Norman "Hurricane" Smith Talks About His Recording Sessions With Pink Floyd



An alternate take on Dark Side Of The Moon
for Rick 1943-2008



________________________________________________________________________

Mais um excelente tributo:






Disc 1
01. Speak To Me - Breathe (In the Air) / voc: Adrian Belew (5:35)
02. Shine On You Crazy Diamond/ voc, g: Steve Lukather (6:51)
03. Welcome To the Machine / voc: Doug Pinnick (7:51)
04. Money / voc: Tommy Shaw (6:23)
05. Have a Cigar / voc: Bobby Kimball (5:17)
06. Run Like Hell / voc: Jason Scheff (5:10)
07. Young Lust / voc: Glen Hughes (4:21)
08. Hey You / voc, b: John Wetton (4:46)
09. Brain Damage / voc: Colin Moulding (3:51)
10. Eclipse / voc: Billy Sherwood (1:50)
11. Us and Them / voc: Jeff Scott Soto (6:20)
12. Any Colour You Like (4:13)
13. Another Brick In the Wall, Pt. 1 / voc, keyb, g, b: Billy Sherwood (3:15)

Disc 2
01. Another Brick In the Wall, Pt. 2 / voc: Fee Waybill (4:01)
02. Comfortably Numb / voc, g: Billy Sherwood (6:53)
03. The Great Gig In the Sky / voc: C.C. White (4:40)
04. Time / voc, g: Gary Green (7:00)
05. Goodbye Blue Sky / voc, g: Billy Sherwood (2:42)
06. In the Flesh / voc: Adrian Belew (3:05)
07. The Thin Ice / voc, fl: Ian Anderson (2:32)
08. Mother / voc, b: John Wetton (6:01)
09. Echoes / Alien Sex Fiend (5:45)
10. Obscured By Clouds / Ummagumma (7:02)
11. On the Run / Larry Fast, Alan White (3:18)
12. Set the Controls For the Heart of the Sun / Psychic TV (8:55)
13. Careful With That Axe, Eugene / Nik Turner (8:35)





3 comentários:

  1. Caros amigos, deram uma grande geral no Valvulado e retirei todos os álbuns que foram considerados violação de direitos autorais... Sorry. Mas ainda ficou muita coisa bacana.

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  3. Eustáquio Caveria Macaco29 de setembro de 2013 08:57

    Baixei. Gostei muito . A qualidade da gravação me surpreendeu muito. Tenho algumas versões do álbum, com arranjos diferentes, da gravação de estúdio. Neste bootleg em questão, o que foi novidade foi o backing vocal de Gilmour, na parte em que Wright canta "Time". Outra novidade: o final de "Eclipse", com o gemido de sintetizador e o som de um sino.

    Suspeito que o comando vocal de "Us and Them" , não foi feito por Gilmour. É o Wright, não?

    Conheço outra versão de "On The Run", na qual o piano elétrico se destaca bem mais que a guitarra, e o som do baixo é mais alto.

    A meu ver, o melhor bootleg do disco do prisma é o "Any Colour that you like". "The Great Gig in The Sky", ainda sem vocal, tem a presença de piano, orgão, baixo e bateria. Bem diferente desta versão deste post.

    Tenho outro bootleg do disco, em que o solo de guitarra de "Time", não aparece. Só escutamos a sessão rítimica.

    Até hoje não me conformo pelo fato do Pink Floyd não ter gravado no disco oficial uma versão das "Brain Damage" e "Eclipse", na qual a guitarra está bem mais pesada, bem elétrica. Esta versão, a meu ver, é bem superior a do disco original.
    Outra coisa: gosto mais dos backing vocals do Floyd do que o feminino.

    "On The Run" com guitarra, piano elétrico , baixo e bateria, é bem melhor que a versão eletrônica, eu penso.

    E prefiro o solo de orgão em "Money" do que o de sax.

    Muito obrigado!

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...