sexta-feira, 30 de novembro de 2012

Nova História da Música Popular Brasileira Vol. 71: Egberto Gismonti, Naná Vasconcelos e Walter Smetak (1979)





Uma bela coleção da editora Abril com 10 polegadas. Belíssimo disco.

01 O sonho (Egberto Gismonti)
02 Água e vinho (Egberto Gismonti)
03 Conforme a altura do sol, Conforme a altura da lua (Egberto Gismonti)
04 Baião malandro (Egberto Gismonti)
05 Cara com cara (Naná Vasconcelos)
06 Coisas do norte (Naná Vasconcelos)
07 (Era pra ser TIJOLINHOS, mas mas é O SONHO) (erro de prensagem do vinil)
08 Tijolinhos, material de construção (Walter Smetak) - Flaviazul bônus track

Dragonfly - Dragonfly (1968) REPOST




Uma grande banda de rock do final dos anos 60...

Dragonfly:
- Jack Duncan - Bass
- Barry Davis - Drums, Back-Vocals
- Gerry Jimerfield - Vocals, Rythm Guitar
- Randy Russ - Guitar, Back-Vocals
- Ernie McElwaine - Keyboards

quarta-feira, 28 de novembro de 2012

Corduroy - Dad Man Cat (1992) - REPOST




Álbum de estréia em 1992 do quarteto inglês Corduroy, um dos principais nomes do movimento Acid Jazz, surgido nos pubs londrinos pelas mãos do Dj Gilles Peterson. A banda é formada pelos irmãos Scott Addison (Keyboards) e Ben Addison (Drums) com o excelente Richard Searle (El. Bass) e Simon Nelson-Smith (Guitars). Sem firulas eletrônicas, o som do Corduroy é enxuto destacando os teclados analógicos, Orgão Hammond, Clavinet e Wurlitzer com uma impressionante linha de baixo. Item indispensável para os fãs do movimento Acid Jazz! O som é demais...
Palhinha: ( http://youtu.be/C_Gs2ku8k4c )

sábado, 24 de novembro de 2012

Guitarristas - Brasil (Guitar Players Brazil)

(foto emprestada do blog: http://ideiasembalsamadas.blogspot.com.br/2012/06/as-melhores-introducoes-do-rock.html )
É difícil de acreditar, mas em 1967 a maioria dos músicos brasileiros eram contra a guitarra elétrica, classificando como americanização de nossa música. Houve até uma passeata contra, que vale a pena ser lembrada aqui.


A famigerada Passeata Contra a Guitarra Elétrica
Com o slogan “Defender O Que É Nosso”, a “Passeata da MPB”, que ficou conhecida como a “passeata Contra A Guitarra Elétrica”, aconteceu em 17 de julho de 1967, em São Paulo, saindo do Largo São Francisco e desembocando diretamente no Teatro Paramount, na avenida Brigadeiro Luís Antonio, onde ocorreria o programa Frente Ampla da MPB.


Liderada por Elis Regina, mais as presenças de Jair Rodrigues, Zé Keti, Geraldo Vandré, Edu Lobo, MPB-4, e até Gilberto Gil, que entrou de gaiato, essa passeata colocava em confronto 2 tendências, uma conservadora e outra renovadora. Em entrevista a Júlio Maria, de 28 de janeiro de 2012, Gil conta que era atraído por Elis, por quem era apaixonado : “…Eu participava com ela daquela coisa cívica, em defesa da brasilidade, tinha aquela mítica da guitarra, como invasora, e eu não tinha isso com a guitarra, mas tinha com outras questões, da militância, era o momento em que nós todos queríamos atuar. E aquela passeata era um pouco a manifestação desse afã na Elis”. Diz ainda, “…Caetano não quis participar porque aquilo tinha um resultado negativo, negava uma série de coisas que a ele interessava afirmar naquele momento. No meu caso, eu saí desse jogo. Não quis fazer esse jogo, se eu fosse colocar como termo da equação essas questões e tirar a Elis da equação eu não teria ido. Mas eu fiz o contrário, eliminei todos os outros termos da equação e deixei ali só a Elis. Determinei meu ato, pautei meu ato por aquela questão. A questão era ela. Eu nada tinha contra a guitarra elétrica”.
Isso tudo logo após o lançamento do álbum “Sgt Pepper’s…” (1 de junho de 1967), dos Beatles, grande influência para Gil e Caetano. Pouco tempo depois, em outubro de 1967, aconteceria o III Festival da TV Record, histórico, porque foi aí que se revelou a renovação da MPB, via uma ação que podemos chamar de antropofágica, através de Caetano e Gil, isto é, engolindo as influências, Beatles, Rolling Stones, psicodelia, rock, e vomitando o pré-tropicalismo, com canções e arranjos abertas a todas as influências, e destronando aquela imbecilidade e caretice que foi a passeata. Caetano Veloso se apresentou com os Beat Boys (banda de rock argentina). ( http://anos60.wordpress.com/2012/04/02/a-famigerada-passeata-contra-a-guitarra-eletrica/  ).

Depois disso, a guitarra elétrica, e o rock foram incorporados à música brasileira e, grandes guitarristas se destacaram, em todos os gêneros, da MPB ao Heavy Metal brasileiro... Gostaríamos de apresentar alguns aqui no Valvulado:



Pepeu Gomes
Pepeu Gomes é considerado pela revista americana Guitar World como um dos dez melhores guitarristas do mundo. Ficou mais conhecido por sucessos populares. Nos anos 70 ao lado de Moraes Moreira, Baby Consuelo, Paulinho Boca de Cantor, Galvão, Jorginho, Dadi, Bolacha e Baixinho formou o grupo Novos Baianos,  grupo que foi tido como um dos principais renovadores estéticos da música brasileira na década.
No final da década de 80, voltou-se para a música instrumental, participando de festivais de jazz e lançando, em 89, o “Instrumental On The Road”.
Nos anos 90 dedicou-se mais a seu trabalho como guitarrista, relendo velhos sucessos como os chorinhos “Brasileirinho” (Waldir Azevedo) e “Noites Cariocas” (Jacob do Bandolim), presentes no início de sua carreira e que fizeram sua fama de virtuose. Ouso dizer que, se Jimi Hendrix fosse brasileiro, seu nome seria Pepeu Gomes.
Há uma lenda, dizendo que Pepeu foi saudado pela sua habilidade com a guitarra pelo Yes, na época do Rock In Rio I...


Vale umas palinhas: ( http://youtu.be/Yh-G4EqSncAhttp://youtu.be/FXZMwJPciIw ).



Wander Taffo

Com carreira iniciada com a banda Memphis em 1973, Wander fundou a banda Rádio Táxi, que fez muito sucesso com a música "Eva" em 1983. No final dessa década, Wander deixou o grupo e passou a fazer carreira solo, junto com os irmãos Andria e Ivan Busic, lançando o disco Wander Taffo, produzido pelo produtor musical Liminha. Chegou a receber o prêmio Sharp de Música na categoria "Revelação Pop Rock Masculino" por um solo gravado em Los Angeles, em 1989. No ano seguinte, foi eleito melhor guitarrista do Brasil pela crítica especializada. Com Marcelo Souss nos teclados, formou-se a Banda Taffo, que teve sucesso com seu disco Rosa Branca. Wander participou ainda de diversos discos: Marina Lima, de 1991, Cássia Eller, de 1994, Clássicos, de Guilherme Arantes, de 1994, entre outros. Em 1996, lançou seu terceiro disco solo, Lola, que teve a música "Sempre Junto de Você" na trilha sonora da novela O Amor Está no Ar, da Rede Globo. Em julho de 1997, Taffo abriu o IG&T (Instituto de Guitarra e Tecnologia). Assim, paralisou seus projetos musicais, dedicando-se exclusivamente ao projeto. A escola, hoje conhecida como Escola de Música & Tecnologia (EM&T), une alta tecnologia a um centro de conveniência nos moldes do GIT de Los Angeles (Estados Unidos), algo inédito na América Latina, de onde é considerada a melhor escola musical. Em apenas um ano de funcionamento, o IG&T atingiu mil matrículas. Já os irmãos Busic hoje estão no Dr. Sin.
Em 2006, Wander voltou com a sua ex-banda Rádio Táxi, que lançou um DVD marcando a volta da banda. Ele planejava ainda a volta da banda Taffo para julho de 2008, mas esse projeto foi interrompido por sua morte. Wander Taffo faleceu na manhã de 14 de maio de 2008 em decorrência de parada cardiorrespiratória. Taffo não tinha histórico de problemas de saúde, segundo sua assessoria de imprensa. Ele tinha trabalhado normalmente no dia anterior e morreu enquanto tomava o café da manhã.












Faiska
Faíska, nome artístico de José Eduardo Fernandes Borges (13 de Outubro de 1955) é um dos guitarristas mais conceituados e conhecidos do Brasil. Faíska começou a carreira profissional no início da década de 70, acompanhando o cantor Eduardo Araújo. Logo após, foi guitarrista da banda Joelho de Porco, precursora do punk e do 'rock humor" no País. Depois, acompanhou diversos artistas brasileiros, como Fagner, Ney Matogrosso, Rita Lee, Wanessa Camargo e Fabio Jr. Atualmente, é professor da mais conceituada escola de guitarra do país, o IG&T (Instituto de Guitarra e Tecnologia), além de trabalhar com o "Faiska Trio", acompanhado por Ximba Uchyama no baixo e Mario Fabre na batera.








Edu Ardanuy

Eduardo Ardanuy é um guitarrista brasileiro que foi eleito pelos leitores da Revista Cover Guitarra como o melhor guitarrista do país nos últimos 10 anos, e é considerado como um dos melhores do mundo. Atualmente toca na banda Dr. Sin, solo, e em projetos paralelos (como o Tritone). Um dos grandes marcos de sua carreira foi ter tocado com Steve Vai em um show no Rio de Janeiro, sendo convidado pelo próprio devido a amizade feita com o guitarrista em um show de abertura.







Palhinha: ( http://youtu.be/bW8iM-7JkSw  )






Kiko Loureiro
Pedro Henrique Loureiro, mais conhecido como Kiko Loureiro (Rio de Janeiro, 16 de Junho de 1972), é um músico multi-instrumentista, compositor e guitarrista da banda brasileira ANGRA. Além de guitarra, Kiko também toca baixo, piano e bateria. No álbum Temple of Shadows, ele fez também uma participação com piano e em seus álbuns solo, tocou bateria em algumas músicas. No single "Acid Rain" da banda Angra ele tocou baixo, já que com a saída de Luiz Mariutti a banda ainda não tinha um baixista substituto (que mais tarde viria a ser Felipe Andreoli). Foi chamado para fazer uma participação no álbum My Winter Storm, da cantora finlandesa Tarja Turunen, e participou da turnê pela a América Latina junto com ela. Participou da NAMM 2009, uma das maiores feiras musicais do mundo. Se apresentou ao lado de renomados músicos como Allan Holdsworth, Victor Wooten, John DeServio (black label society), Ritchie Kotzen, Eddie Jackson (Queensryche), Joe Satriani, Mike Terrana (esse já gravou com Kiko Loureiro dois álbuns do próprio), Doug Wimbish (Madonna, living Colour, Mick Jagger) e Neil Smith (Alice Cooper). Recentemente recebeu uma proposta para abrir alguns shows do Iron Maiden, mas não pode ir devido aos shows já agendados com o Angra.










Difícil dizer quem é o melhor guitarrista brasileiro. Gêneros e épocas diferentes detonando as seis cordas...  Gostaria de ver um duelo ao estilo do filme Crossroads, em que duelaram Steve Vai e Ry Cooder. Em 2006 houve um desafio, o ZOOM CHALLENGE, no qual Edu Ardanuy e Kiko Loureiro duelaram com suas guitarras. E registraram:



Palhinha: ( http://youtu.be/aobL2AC3z4s ).

Divirtam-se!!!!!!!

sábado, 17 de novembro de 2012

Michael Schenker Group - BBC Radio One Live In Concert

One of countless Michael Schenker Group live albums cluttering record store shelves, BBC Radio One captures the band performing most of their biggest hits ("Armed and Ready," "Cry for the Nations," "Let Sleeping Dogs Lie," etc.) at the 1982 Reading Festival. But even more compelling than the music itself were the peculiar circumstances surrounding this show. That is, the return of original MSG singer Gary Barden, who arrived unannounced to perform with the group for the first time since quitting a year earlier -- hence his "Surprise, surprise!" greeting to the crowd. And he pulls it off admirably, despite suffering from the occasional bout of hoarseness. Schenker too is at his usual awe-inspiring best, and his solo introducing "Lost Horizons" is simply beyond description. As they close with a rousing rendition of UFO's classic "Doctor Doctor," it's hard to believe that the MSG would soon crumble once again beneath the weight of their leader's ego.

Graham Central Station - Ain't No 'Bout-A-Doubt It (1975)



Graham Central Station foi uma fantástica banda de funk criada pelo lendário baixista Larry Graham, inventor da técnica slap dono de um swing só dele, o som da banda é um funk and soul com um pitada de rock.
Ain't No 'Bout-A-Doubt It foi lançando em 1975 e traz altas sonzeiras e uma ótima versão de I Can't Stand The Rain, simplesmente imperdível... The Jam é uma obra de arte!!! Escutem a palhinha: ( http://youtu.be/Is665CtmBUc ).

01. The Jam
02. Your Love
03. It's Alright
04. I Can't Stand The Rain
05. It Ain't No Bout
06. Ole Smokey
07. Easy Rider
08. Water
09. Luckiest People

Dinho Nascimento - Berimbau Blues



Berimbau Blues é o nome da composição instrumental na qual Dinho utiliza um copo d’água como slide para tirar a melodia no berimbau. É também o nome do primeiro cd idealizado e produzido por Dinho Nascimento, que também assina a maioria das composições que interpreta. Lançado originalmente em 1996, ganhou o X Prêmio Sharp de Música (Revelação) em 1997.
Dinho Nascimento é um percussionista, compositor e vocalista baiano que se revelou um criativo adepto de fusões musicais às quais acrescentou a novidade do berimbau elétrico. Assim como outros músicos de sua terra natal, aprendeu a tocar berimbau e percussão nas "rodas de capoeira" e "festas de rua".
Aos 16 anos, teve a chance de aprimorar seus conhecimentos estudando piano e iniciação musical no Seminário Livre de Música. Participou de muitos festivais estudantis e no final dos anos 60 formou o grupo Arembepe, com quem atuou por mais de uma década, conseguindo boa repercussão com seu afro-rock de tempero baiano.
Mergulhando na carreira de percussionista, trabalhou ao lado de inúmeros medalhões da música brasileira como João Donato, Walter Franco, Tom Zé, Renato Teixeira, Vidal França, Zé Ketti, Flávio Venturini, Renato Borghetti, João Bá e Pena Branca e Xavantinho.


O blues, para mim, é um estado de espírito. Sempre achei que o berimbau, por sua origem africana tem tudo a ver com o blues e é assim que Berimbau Blues aconteceu. Aquilo que emociona, que faz a gente se mexer, cantar, dançar é que é o meu trabalho, que tem um pouco de tudo, de afoxé, salsa, capoeira, jazz e blues.“ - Dinho Nascimento

domingo, 11 de novembro de 2012

Easy Tempo Collection (Jazz Lounge)


Easy Tempo Cinematic Lounge Experience

Descobri esta coleção há 4 anos atrás e fiquei encantado. Em essência é um jazz, com muito groove e lounge, com pinceladas psicodélicas. Uma obra de arte e muito rara.. Simplesmente hipnotizante... 

Direto do underground italiano, uma coleção de discos com o melhor de trilhas de filmes italianos dos anos 60 e 70, todas com grooves cheirando a psicodélicos, orgãos hammond a vontade, arranjos enormes e muitas vezes singelos.......mas tudo com muito swing. Músicos como Piero Piccioni, Piero Umiliani, Armando Trovajoli, Augusto Martelli e etc compõe o time de compositores presentes na coletâneas. Sutil como uma trilha sonora deve ser, sem perder o poder de fazer dançar.....
Coisa fina até demais..... ( http://nirso.blogspot.com.br/ ).
Uma resenha do blog Rappamello ( http://rappamelo.com/2010/10/easy-tempo-cinematic-lounge-experience/ ):

"Easy Tempo record label is an incredible sound experience representing the absolute magic of Italian film music. Born out of the urgency to deliver worldwide the outstanding 60′s and 70′s obscure Italian cinematic scene, Easy Tempo label has established itself as one of the most creative and influential re-issue labels of the 90′s. This are compilations made by Easy Tempo and contains italian soundtracks of 60′s and 70′s, enjoy!"














































sexta-feira, 9 de novembro de 2012

Rigo Roman - (2012) Brincando... (Fita demo)



Grande músico brasileiro, Rigo Roman está para lançar seu primeiro CD e nos presenteou com uma "fita demo". Este grande violonista brilha pelas noites de Ilha Bela e em breve teremos sua primeira produção aqui no Valvulado. Confiram! Com vocês, Rigo Roman. (Link no titulo).

domingo, 4 de novembro de 2012

Who is Steve Morse?

Steven J. Morse (Hamilton, Ohio, 28 de julho de 1954) é um guitarrista de rock Norte-Americano, conhecido por sua carreira solo e por seus trabalhos no Dixie Dregs e o no Deep Purple. Sua carreira abrange o rock, country, funk, jazz e fusões destes gêneros. Morse também tocou com a banda Kansas e toca com o Deep Purple desde 1994.

Um breve relato das principais bandas de Steve Morse:

Dixie Dregs - Após sua graduação em 1975, Morse e West passaram a tocar oficialmente como Dixie Dregs. Em 1976 os Dixie Dregs fecharam um contrato de gravação com o selo Capricorn, onde gravaram 3 discos até a falência da gravadora em 1979. Em 1979 os Dregs assinaram contrato com a Arista, onde lançaram dois álbuns.

Steve Morse Band - Tendo cumprido as obrigações contratuais com a Arista, a banda cansou-se das pressões de turnês constantes e dispersou-se em 1983. Morse formou a Steve Morse Band, um trio com Jerry Peek (baixo) e Doug Morgan (bateria). Rod Morgenstein logo substituiu Morgan e com esta formação, gravaram o primeiro álbum do grupo, The Introduction, em Setembro. A banda fez turnê pela Alemanha no começo de 1984, com Morse fazendo workshops e assim foram contratados pela Elektra que lançou o álbum já gravado, The Introduction, no meio do ano. Uma segunda turnê foi realizada pela Alemanha, em Dezembro, e no ano seguinte foi lançado o álbum Stand Up. Este contou com a participação dos vocalistas e guitarristas, (Eric Johnson, Alex Ligertwood, Peter Frampton, Albert Lee, Van Temple), e também o violinista Mark O'Connor.


Deep Purple - Em 1994, o guitarrista Ritchie Blackmore abandonou o Deep Purple no meio de uma turnê. Joe Satriani tocou voluntariamente no lugar de Blackmore para terminar a turnê, e Morse foi contratado pela banda logo em seguida.


Em Outubro de 2012, Steve Morse fez parte do G3, tocando no Brasil. O G3 foi formado por Joe sartriani em 1996 e teve várias formações como Steve Vai, Eric Johnson, Kenny Wayne Shepherd, Robert Fripp, entre muitos outros. A formação que veio ao país contou com Satriani, John Petrucci (Dream Theather) e Steve Morse (Deep Purple, Dixie Dregs).



A seguir, alguns álbuns interessantes da carreira deste grande guitarrista:










Compilação das melhores músicas em dois CDs. Algumas raridades, tocando com Steve Vai, Eric johnson, Joe Sartriani...








Bom domingo a todos e rezar para não deletarem NADA!!!

sábado, 3 de novembro de 2012

Trilhas Sonoras - Cinema Brasileiro (Soundtracks Brazil)





O cinema brasileiro já tem reconhecimento internacional, desde o filme " O Pagador de Promessas" de 1963. Os filmes de Camen Miranda também chamaram a atenção, tanto bela beleza da protagonista, mas também pela música animada e ritmada... Somente a partir da década de 90 o Oscar voltou a ter entre as suas indicações algumas obras brasileiras como O Quatrilho (1995), Central do Brasil (1998) e Cidade de Deus (2003). Entretanto, o cinema brasileiro vem ganhando outros prêmios dourados como O Urso de Ouro (Festival de Berlim) e o Globo de Ouro. O filme Central do Brasil, por exemplo, venceu o Globo de Ouro e o Urso de Ouro. Já o Tropa de Elite (2007) trouxe o Urso de Ouro.
As trilhas sonoras do cinema brasileiro sempre foram muito bem elaboradas e estão colocando muito espectador para dançar além das sessões de filme. Seguem algumas trilhas sonoras, que muitas vezes, não noslembramos dos filmes, mas não esquecemos a música.





 As músicas do filme Cidade de Deus mesclam-se entre samba-funk instrumental e clássicos das décadas de 60 e 70 como “Preciso me encontrar” e “Alvorada” (Cartola), “Nem vem que não tem” (Wilson Simonal) e “Metamorfese ambulante” (Raul Seixas). Os responsáveis pelas faixas originais são Antônio Pinto e Ed Cortês. O primeiro, já tinha sido destacado na trilha sonora de “Central do Brasil”.
Palhinha: ( http://youtu.be/fqqBcVrDyVA )







Trilha sonora de respeito. Sonzeira de A Bolha, Toni Tornado, Rita Lee...





Este filme tem que ser visto. Os personagens de Angeli animados são demais e com uma trilha sonora de peso! Segue uma palhinha do filme: ( http://youtu.be/1fiGQe9w-7k ).
Faixas:
1. Um Lugar do Caralho – Júpiter Maçã
2. Woody Woodpecker – Arnaldo Baptista
3. Um Oh! e um Ah! – Tom Zé
4. Quando Você Me Disse Adeus – Mopho
5. Marchinha Psicótica de Dr. Soup – Júpiter Maçã
6. Hulla-Hulla – Rita Lee
7. Canção para Dormir – Júpiter Maçã
8. Ferro na Boneca – Os Novos Baianos
9. Paranormal – Matheus Walter
10. Querida Superhist X Mr. Frog – Jupiter Maçã
11. As Mesmas Coisas – Jupiter Maçã
12. Chão de Estrelas – Panflute Simion Luca
13. The Freaking Alice – Júpiter Maçã
14. Eu Vou Me Salvar – Rita Lee





01. Ricardo Graça Melo - De Repente Califórnia
02. Go Go's - We Got the Beat
03. Lulu Santos - Tesouros da Juventude
04. Bebel - Corpos de Verão
05. Gang 90 & Absurdetes - Perdidos na Selva
06. Radio Taxi - Garota Dourada
07. Ricardo Graça Melo - Sob a Luz do Mar
08. Go Go's - Our Lips Are Sealed
09. Guto Graça Melo - Turbilhão de Emoções


Um grande sucesso de bilheteria, Menino do Rio é um clássico dos anos 80 e um dos primeiros filmes brasileiros sobre a juventude vivendo intensamente a natureza, a liberdade, a alegria e o amor...  Bom, o som lembra muita coisa boa para quem viveu os anos 80... Garota, eu vou para a Califórnia....







Filmaço com uma sonzeira de primeira. Trilha sonora a altura do excelente filme de ação brasileiro.


Divirtam-se!
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...