Post Reviewed

The Drum Nation (I & II)

Drum Nation Volume 1 features the Worldís Greatest Drummers performing with ensembles or solo. Terry Bozzio; Bill Bruford; Steve Smit...

sábado, 23 de março de 2013

Hard African Funk, Afro-Jazz & Original Afro-beat


A África é o continente de origem, o vértice de vários ritmos. A mistura do Jazz, com batidas fortes e o Funk Groove com solos rítmicos, tudo isso misturado fez aparecer diversos termos para tentar denominar este som maravilhoso. Li vários textos, tentando achar um consenso, mas Hard African Funk, Afro-Jazz & Original Afro-beat, ou simplesmente Funk Jazz parecem se aproximar mais ainda. Segue uma coletânea rara para fãs do gênero.






 Club Africa vol 1 é uma maravilhosa coletânea de afrobeat lançado pelo selo Strut Records em 2000 simplesmente só sonzeira do início ao fim.

01. River Luv Rite - Oneness of Juju
02. Shakalaode
03. Eltsugh Ibal Lasiti - The Daktaris
04. Karam Bani - Buari
05. Rhythm on Rhythm - The Sookie All Stars
06. Cheetah - Mandingo
07. Soul Makossa - The Gaytones
08. Kenia - Mombasa
09. Silver Black Summer Day - Living Funk
10. Ritual - Nico Gomes
11. Jungle Funk
12. Afro Funk - Peter King
13. Everybody's Grooves
14. Samba - Miriam Makeba




Segunda e ultima parte da coletânea de pérolas africanas Club Africa.

1. Bananaticoc - Max B.
2. New Bell - Manu Dibango
3. Funky Crookie - Exile One
4. Long Ways from Home - Hugh Masekela
5. Jo Jolo - Peter King, Peter King
6. Wuyé Wuy - West African Cosmos
7. Black Family - Roy Ayers
8. Let Your Mind Take the Place of Your Body - Living Funk
9. Precious Mother - Black Egypt, Bukky Leo
10. Ererimbot Ayafung Oko - Rex Williams
11. Takuta - Babatunde Olatunji
12. Simbarer - Antônio Carlos e Jocafi
13. Dyambo - Hugh Masekela, Union Of South Africa
14. Talking Drum - Africa Messengers, Ginger Johnson
15. Mahlalela - Letta Mbulu



sexta-feira, 22 de março de 2013

David Lee Roth - Eat ' Em and Smile


Eat 'Em and Smile é o álbum de estréia de David Lee Roth em sua carreira solo, após ter saído do Van Halen.
No final de 1985 David montou uma banda considerada por muitos uma das maiores formações de todos os tempos, composta pelo guitarrista Steve Vai, o baixista Billy Sheehan e o baterista Gregg Bissonette. David ainda chamou Ted Templeman, produtor do Van Halen, para produzir o álbum de estréia da banda. Eat 'Em and Smile foi o retorno de David ao hard rock, e com um considerável sucesso comercial. A turnê desse álbum foi uma das mais bem-sucedidas de 1986.

Faixas:
1. "Yankee Rose" 
2. "Shyboy"  
3. "I'm Easy"  
4. "Ladies' Nite in Buffalo?"  

5. "Goin' Crazy!"  
6. "Tobacco Road"  
7. "Elephant Gum"  
8. "Big Trouble"  
9. "Bump and Grind" 
10. "That's Life" 

Banda:
David Lee Roth – vocal
Billy Sheehan – baixo
Steve Vai – guitarra
Gregg Bissonette – bateria


sexta-feira, 15 de março de 2013

Love, Peace & Poetry - Obscuro Psychedelic Rock Music


Love, Peace & Poetry is a music compilation series created by Thomas Hartlage. The records explore obscuro psychedelic rock music from specific regions around the world. The series began in 1998 and is released by QDK Media and Normal Records on compact disc and vinyl.
The model on the cover of all the albums is Cheryl Shrode, a go-go dancer and model who appeared in Playboy in 1967. The photos were taken by Bunny Yeager.

I just don't know what inspired Thomas to do that musical research, but he did an excellent work. Great Psychedelic Music all around the world. Another mistery is Cheryl Shrode on all covers. I like the pictures but why she is on the cover of a Turkish Psychedelic Rock collection?
Well, many thanks Thomas. I just loved this collection...


Mais uma coleção rara direto do baú do Javanês. Rock psicodélico de diferentes partes do mundo. Cada álbum traz a música psicodélica de uma parte do mundo, nos anos 60-70. O do Brasil é muito bom, com uns caras (bandas) que não conhecia. O da Turquia e do Japão foram uma surpresa... Vale a pena.
Divirtam-se!





sábado, 9 de março de 2013

Osibisa - Heads (1972)






Osibisa is a Ghanaian Afro-pop band, founded in London in 1969 by four expatriate African and three Caribbean musicians. Osibisa were one of the first African heritage bands to become widely popular and linked with the world music description.

Heads is the third album by British Afro-pop band Osibisa released in 1972.



Teddy Osei – tenor saxophone, flute, African drums, vocals
Sol Amarfio – African drums, bells, bongos, cowbells, drums, percussion, vocals
Mac Tontoh – trumpet, flugelhorn, cornet, kabasa, percussion, vocals
Spartacus R (Roy Bedeau) – bass guitar, percussion
Wendell Richardson – lead guitar, acoustic guitar, vocals
Robert Bailey – congas, flute, acoustic guitar, Moog bass, organ, piano, electric piano, clavinet, timbales, percussion, vocals
Loughty Lasisi Amao – tenor saxophone, baritone saxophone, flute, congas
Robert Bailey, Jr. – bass, acoustic guitar, Moog synthesizer, organ, piano, electric piano, timbales, vocals


sexta-feira, 8 de março de 2013

A Esplanada perde Lorival

Depois de mais de 10 anos de muita luta e pauleira, a esplanada dos magistérios perde o grande Lorival, velho caipira do interior de São Paulo, que se entegou de corpo e alma no período!



Fazer o que, né? Tocar a vida. Vai cuidar da sua vida agora, malandro! Deite na relva e aprecie as estrelas do planalto central!!! Coça o saco um pouco e aproveite pra tomar uma gelada as 9 da manhã, no café da manhã.

Solta a franga Lorival!!!


"Tô cansado"


Valeu companheiro!!!

E para finalizar, um som bem Lorival, grande gaitista...




quarta-feira, 6 de março de 2013

Betty Davis - Funk Goddess


Betty Davis foi esposa de Miles Davis. Cantora negra de Funk & Soul. A historia conta que teve um affair com Jimmi Hendrix. O som é de primeira, um funk no estilo James Brown

There would be no Prince, Madonna, Jimi Hendrix, Miles Davis (in the 1970’s), or Lil Kim, if it weren’t for Betty Davis and her explosive, courageous, erotic, gender bending, bluesy, and funky music. Betty’s voice purrs, growls, and scratches through her deliciously written lyrics. A blues woman to the bone, Betty took her southern roots, and mixed them with raw funk, soul, and psychedelic rock. A woman well ahead of her time, she pushed boundaries with her avant-garde fashion sense, amazing afro, and provocative lyrics. There is one testimonial about Betty Davis that is universal: she was a woman ahead of her time. In our contemporary moment, this may not be as self-evident as it was thirty years ago – we live in an age that’s been profoundly changed by flamboyant flaunting of female sexuality: from Parlet to Madonna, Lil Kim to Kelis. Yet, back in 1973 when Betty Davis first showed up in her silver go-go boots, dazzling smile and towering Afro, who could you possibly have compared her to? Marva Whitney had the voice but not the independence. Labelle wouldn’t get sexy with their “Lady Marmalade” for another year while Millie Jackson wasn’t “Feelin’ Bitchy” until 1977. Even Tina Turner, the most obvious predecessor to Betty’s fierce style wasn’t completely out of Ike’s shadow until later in the decade.

22 year old Betty met brilliant trumpeter and bandleader Miles Davis who was almost twice her age. Miles could not resist the undeniable coolness that Betty exuded, so he had to know her. The steamy pair married in 1969 only after a year of knowing each other. By this time Betty had already graced the cover of Miles’s 1968 album, Filles de Killimanjaro. “Mademoiselle Mabry” served as Miles’s muse as well as a very influential musician in his life. During the pivotal two years they were together, Betty introduced Miles to the sounds of her good friend Jimi Hendrix, who middle aged Miles was not hip to. Inspired by the sounds of the younger generation Miles decided to push his music to uncharted territory, and thus spawned  “fusion.” Miles completely reinvented himself and released the ground breaking album Bitches Brew in 1970, which Betty also helped name.












sábado, 2 de março de 2013

89 FM - A Rádio Rock

Uma das melhores notícias para os órfãos da rádio rock (e pra quem não conhecia e vai poder conhecer).

A lendária 89 FM – A Rádio Rock, de São Paulo, está de volta ar!
A reestréia oficial aconteceu no dia 21/12/2012 e agora a rádio passa a se chamar UOL 89FM.
Antes dessa volta, a Rádio Rock ficou no ar de 1985 a 2006 no dial 89.1 de São Paulo e foi retransmitida em muitas cidades do país.
Para explicar aos jovens de hoje, naquela época os álbuns de vinil eram relativamente caros, som no carro com toca fitas eram caríssimos (computador tinha tela verde e nem se pensava em multimídia). Uma rádio que tocava Rock valia ouro. E não era só isso, além de tocar os clássicos do Rock, trazia novidades. Era comum gravar fitas K7 com a programação da rádio, nos antigos aparelhos 3 em 1.
Recebi com muita alegria esta notícia, mostrando que som bom ainda tem espaço neste mundo. Para comemorar, vou postar umas bandas que conheci através da 89 FM, A Rádio Rock.






Concert: The Cure Live is the first live album of English rock band The Cure. It was recorded in 1984 at the Hammersmith Odeon in London and in Oxford.

The Cure é uma banda de rock inglesa formada em 1976 em Crawley, Inglaterra. Robert Smith é o líder da banda e único elemento constante desde a sua formação, além de se manter responsável sozinho por sua direcção musical, sendo produtor, cantor, compositor e multi-instrumentista.





The Cult é uma banda de rock, formada em Yorkshire, Inglaterra, em 1984, por ex-membros das bandas Southern Death Cult, Theatre Of Hate e posteriormente Death Cult.
No fim dos anos 70, um jovem chamado Ian Astbury decidiu criar uma banda. Este foi o início do Southern Death Cult, um grupo de rock gótico pós-punk. A música do grupo não combinava totalmente com o seu estilo, uma vez que Astbury era muito influenciado pela música e visuais dos anos 60.
Em 1983, com o fim do Southern Death Cult, Ian Astbury junta-se a Billy Duffy (guitarra, ex-Theatre of Hate), Jamie Stewart (baixo, ex-Ritual) e Ray Mondo (bateria), e a banda passa a se chamar Death Cult.
Em julho de 1983, a banda lançou Death Cult, um EP com quatro canções. Em setembro do mesmo ano, Ray deixa a banda para dar lugar a Nigel Preston, (ex-Sex Gang Children). Com o novo baterista, o Death Cult lança em outubro de 1983 o single God Zoo.
Em uma sexta-feira, (13 de Janeiro de 1984), antes de fazerem um programa de TV, Ian decide que a banda passaria a se chamar The Cult, retirando, assim, a conotação "gótica" da banda. Astbury justificaria assim esta mudança: "nós somos mais vida do que morte".
Eu ouvi demais o álbum Love de 1985 e tocava muito na 89...







Diesel and Dust é o sexto álbum da banda australiana de rock Midnight Oil, lançado em 1987. Este álbum trouxe o sucesso internacional para a banda.
O Midnight Oil é conhecido em todo o mundo como uma banda de ideais políticos e ambientais fortes. Sua maneira de abordar tais temas a transformou suas canções em hinos e suas apresentações em comícios, mantendo vivo o espírito contestador e inconformista do rock. Os Oils, como são chamados pelos fãs, também ficaram conhecidos por terem obtido legalmente junto à gravadora o pleno controle sobre sua obra artística, não se submetendo as regras do mercado fonográfico.



E para encerrar esta celebração aos bons tempos de uma rádio inovadora, um clássico... Kiss:




Kiss é Kiss... Não dá para escrever nada. Fui no show em 1984, ouvi este vinilzão aí e tocava muito na 89... I LOVE IT LOUD!!!!!

Muito sucesso a 89, e que a boa música volte às FMs.

Música Instrumental Brasileira


Nossa música é um dos bens mais preciosos, é um tesouro reconhecido e respeitado em todo o planeta. O Brasil é um país que, além de ter um enorme território, sofre uma influência clara de culturas vindas das mais diversas partes do planeta. Estes ingredientes dão como resultado uma cultura exuberante, variada, criativa e que reproduz essas influências de forma original, com seu sotaque, seu próprio tempero - assim é a música brasileira. Seguem alguns exemplos de nossa genialidade genuína.






Excelente álbum de Felix Jr, instrumentista (violão de 7 cordas) de Brasília, que gentilmente enviou o CD pelo nosso email. A obra deste grande músico pode ser apreciada no excelente blog Trem de Minas ( http://trem-de-minas.blogspot.com.br/ ).

Contato do Felix ( felixjr7@gmail.com)

Faixas:
1-CORTA JACA-CHIQUINHA GONZAGA
2-BOLE BOLE-JACOB DO BANDOLIN
3-BATUQUE NO CHORO-FÉLIX JUNIOR
4-MIGALHAS DE AMOR-JACOB DO BANDOLIN
5-VAI PASSAR-CHICO BUARQUE
6-TRIBUTO A RAPHAEL RABELLO-FELIX JUNIOR
7-SENSÍVEL-FELIX JUNIOR
8VÊ SE GOSTAS-WALDIR AZEVEDO
9-CHORANDO BAIXINHO-ABEL FERREIRA
10-AO MESTRE FELIX-FELIX JUNIOR
11-FREVO SAFADINHO-RICARDO DOURADO
12-ROSA-PIXINGUINHA
13-CHORO CANDANGO-FELIX JUNIOR
14-CENI-FELIX JUNIOR
15-FORRO SAFADINHO-RICARDO DOURADO



E seguem duas pérolas da música instrumental brasileira, conseguidas no antigo Sebo de Elite. Raridades!




Side A
01- Flor Amorosa - Choro de Antonio Callado
02- Pinicadinho - Polca de Severino Rangel e José Luiz Calazans
03- Rancho Fundo - Samba-Canção de Ari Barroso
04- Santinha - Xotis de Anacleto de Medeiros
05- Serra da Boa Esperança - Samba-Canção de Lamartine Babo e Ari Barroso
06- Receita de Samba - Samba de Jacob do Bandolim
07- Brejeiro - Choro de Ernesto Nazareth

Side B
01- Ave Maria - Valsa de Erotides de Campos
02- Sapeca - Frevo de Jacob do Bandolim
03- Oito Batutas - Choro de Pixinguinha
(antecede depoimento de Donga)
04- Maxixe das Flores - Maxixe de Altamiro carrilho
05- Ingênuo - Choro de Pixinguinha e Benedito Lacerda
06- Quanto Dói Uma Saudade - Choro de Garoto
07- Proezas do Evandro - Choro de Luperce Miranda

Evandro e seu Regional:
Evandro (Josevando Pires de Carvalho) - mandolin
José Pinheiro - 7 string acoustic guitar
Eduardo dos Santos Gudin - acoustic guitar
Lúcio França - cavaquinho
José Reli e Balto da Silva - pandeiro, surdo





Música instrumental brasileira de primeira... Curtam aí.


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...