sexta-feira, 31 de outubro de 2014

Yngwie Malmsteen - Heavy Classical Guitar


Yngwie Malmsteen, nome artístico de Lars Johann Yngwie Lannerback nasceu em Estocolmo, Suécia, 30 de junho de 1963. Guitarrista conhecido por sua incrível velocidade e virtuosismo, teve aulas de piano e trompete e aos 5 anos ganhou seu primeiro violão. Aplicando sua intensa curiosidade e tenacidade primeiro com uma velha guitarra Mosrite e depois com uma guitarra Stratocaster, Yngwie entrou na música de bandas como Deep Purple. Sua admiração pelas influências clássicas de Ritchie Blackmore levaram-no a conhecer Bach, Vivaldi, Beethoven, Mozart e Paganini, entre outros compositores. Malmsteen detém o chamado "ouvido absoluto" que é a capacidade de distinguir notas musicais seja qual for a fonte, capacidade que poucos possuem no cenário musical. Quando tinha 7 anos adotou o sobrenome de sua mãe, Malmsteen, passou a dedicar todas as suas energias para a música e parou de ir para a escola. Na escola era sempre considerado "arrumador de problemas", brigava frequentemente e só ia bem nas matérias que realmente gostava: Inglês e Artes. Sua mãe, reconhecendo seus talentos musicais permitiu que ficasse em casa com seus discos e sua guitarra.


No começo de 1983, logo que se mudou para os EUA entrou para o Steeler, banda do qual também fazia parte o vocalista Ron Keel, gravou apenas um álbum, fez alguns shows e logo a banda encerrou as atividades, em agosto foi para o recém-formado Alcatrazz, uma banda no estilo do Rainbow e fundada por um ex-Rainbow e ex-Michael Schenker Group, o vocalista Graham Bonnet. Em julho de 84 após o fim da turnê sai da banda, apesar de ter feito nessa banda alguns dos seus melhores solos, como Jet to Jet e Hiroshima Mon Amour, ficou provado que seu trabalho ainda estava limitado e o único jeito seria seguir uma carreira solo. Em seu lugar Graham Bonnet chamou ninguém menos que Steve Vai.


Em janeiro de 1984 após uma turnê no Japão ainda com o Alcatrazz, Malmsteen recebeu uma proposta da gravadora Polydor que ficou impressionada com o talentoso guitarrista e ofereceram um contrato para gravar um álbum solo, imediatamente logo que voltou do Japão ele então entrou no Plant Estúdio em Los Angeles e começou a gravar seu álbum, como ele já tinha ideias de músicas prontas o processo foi muito rápido. O primeiro álbum solo de Yngwie, "Rising Force" saiu em 15 de março de 84, entrou nas paradas da Billboard no 60º lugar, uma ótima marca para um disco quase todo instrumental, com apenas 2 faixas cantadas. Esse álbum ganhou uma indicação para o Grammy e várias votações em revistas como "revelação", "melhor guitarrista", etc. Seus duelos com o tecladista Jens Johansson (Stratovarius) fizeram nascer um novo estilo musical: o metal neoclássico, mais tarde chamado de Baroque & Roll. O álbum foi gravado em Los Angeles e a produção foi de Malmsteen. O baterista foi o experiente Barriemore Barlow que tocou no Jethro Tull por 10 anos, o tecladista foi Jens Johansson e o vocalista foi Jeff Scott Soto que gravou apenas os vocais em uma única música no disco, o baixo foi gravado pelo próprio Malmsteen.



Seguem meus álbuns favoritos deste grande guitarrista:



Yngwie Malmsteen— Guitarras e baixo
Barriemore Barlow — Bateria
Jens Johansson — Teclado
Jeff Scott Soto — Vocais




Yngwie Malmsteen – guitarra, violão, baixo
Mark Boals – vocal
Jens Johansson – teclado, assistência no baixo de "Trilogy Suite Op. 5"
Anders Johansson – bateria






quinta-feira, 30 de outubro de 2014

70's Funk & Soul Classics


Uma coletânea de clássicos:





1. Doing It To Death - Fred Wesley & The JB's
2. I Got Ants In My Pants - James Brown
3. I Need Help (I Can't Do It Alone) - Bobby Byrd
4. I Don't Know What It Is But It Sure Is Funky - Ripple
5. Get Ready - Rare Earth
6. Check Out Your Mind - Curtis Mayfield & The Impressions
7. Inner City Blues (Make Me Wanna Holler) - Marvin Gaye
8. Respect Yourself - Staple Singers
9. Do Your Thing - Isaac Hayes
10. Do It ('Til You're Satisfied) - BT Express
11. If You Want Me To Stay - Sly & The Family Stone
12. Right Place Wrong Time - Dr. John



terça-feira, 28 de outubro de 2014

Er.J.Orchestra - Classical Prog Sounds from Ukraine

By Peter Hammil

The decade of the 80's was ending, Ukraine was enjoying an artistic renaissance after decades in which more major Rock acts were almost illegal or at least underground, so it was time for musicians in Kiev to create their own musical scenario that not only embraced existing currents but also added part of their national identity into the sound. Already Eastern Europe had been developing a Symphonic style with strong Ethnic sounds for almost a decade and ER. J. ORCHESTRA followed the same path. If there's anything we must emphasize from the USSR years is their interest for Orchestras and Classical oriented musicians, so it wasn't hard for the classical trained pianist Alexis Aleksandrov to find enough capable musicians not only for a traditional 4 or 5 piece band but actually for a small Orchestra around 1989. 


Alexi's intention was to blend not only Rock and Jazz but also Slavonic melodies with Ethnic instruments, as they say in their website: "music without boundaries.". The project was ambitious but not as solid as it may have been, because I believe they never defined a band identity, their sound kept wandering through all the styles and influences they took as their own, but never really embraced a 100% authentic and unique sound. Sometimes they sound very Symphonic, others close to Neo Prog, New Age, Folk/Prog, World Music or even Neo Classical with strong emphasis in the easy listening aspects, so it's a problem to locate them under a determined sub-genre, being that they are too light to be in Art Rock and too Prog to be ignored, so after several debates we decided to include them in Prog Archives as a Related band, being that their New Age/World component is strong. ER. J. ORCHESTRA has released three albums during their career, "Gabrielus" in 1998, "On the Hill Again" in 2002 and "Unicorn" in 2004, all in the same light Symphonic, Fusion, Folksy and New Age vein but all worth listening, at the end the classification of a band is only anecdotic, being that the most important component is quality and ER. J. ORCHESTRA has more than enough quality. The latest lineup includes Valery Koshman - guitar, Vladimir Sorochenko - bass, Viktor Krisko - violin, Alexei Alexandrov - flutes together with Oakman - vocal, music, lyrics, Vladimir Pysmenny - guitar, Usein Bekirov - keys and Sergey Jakson - drums. If you are searching for a complex and elaborate band, forget about them, but if you like to listen softer Pr...read more






sábado, 25 de outubro de 2014

The Black Crowes - Blues Rock


The Black Crowes é uma banda norte-americana de rock, formado em Atlanta, Geórgia em 1984 pelos irmãos Chris e Rich Robinson. Sua discografia inclui nove álbuns de estúdio, quatro álbuns ao vivo e vários singles presentes nas paradas. A banda assinou contrato com a Def American Recordings em 1989 e no ano seguinte lançaram seu álbum de estreia Shake Your Money Maker, produzido por George Drakoulias. Dois anos depois, a banda lança The Southern Harmony and Musical Companion, alcançando a #1 posição na Billboard 200 em 1992. Black Crowes pode ser definido como a fusão de hard rock com rock psicadélico, misturando um blues pesado com rock básico. Com essa mescla convocaram o baixista Johnny Colt, o guitarrista Jeff Cease e o baterista Steve Gorman para gravarem o primeiro disco. Lançado em 1990, Shake Your Moneymaker é uma forte investida na mistura rock/blues e a estreia é surpreendente. O disco vendeu mais de 4 milhões de cópias e com ele a banda foi eleita revelação do ano pelos críticos norte-americanos. "Twice As Hard", "Jealous Again" e "Hard To Handle", de Otis Redding são algumas das pérolas do álbum, sem contar a lindíssima balada "She Talks To Angels", que sozinha vale o disco.


O Crowes apoia a retórica a favor da maconha, tocando no Great Atlanta Pot Festival, organizado pela National Organization to Reform Marijuana Laws, algo como Organização Nacional Para Reforma das Leis da Maconha. No segundo trimestre de 1992 é lançado o segundo álbum, chamado The Southern Harmony and Musical Companion. O sucesso permite experimentações e a banda mergulha no psicodelismo. Músicas como "Remedy", "Thorn In My Pride", "Sometimes Salvation" e a inspiradíssima versão de "Time Will Tell", de Bob Marley, levam o álbum ao topo da parada norte-americana e ao segundo lugar da parada inglesa. Com o sucesso, a banda se estabeleceu como uma atração obrigatória nos concertos populares de verão nos EUA. Ainda em 1992 a banda adicionou o tecladista Eddie Hersch ao grupo como um integrante permanente.


The Black Crowes é uma grande banda com enormes raízes nos anos 70, em todos os sentidos. O som para mim, lembra Led Zeppelin e muitas outras boas bandas de Blues Rock. selecionamos alguns álbuns...

Primeiro uma palhinha:


















terça-feira, 21 de outubro de 2014

Inga Rumpf - Beautiful Prog Jazz Singer from Germany...


Inga Rumpf was one of the best-known German R&B, Jazz, Prog singers. Her voice often drew comparisons to Janis Joplin, but Rumpf was able to develop her own unique vocal style. Catapulted to stardom in the ‘70s with her band Frumpy, she released a number of highly acclaimed solo works in the ‘80s and ‘90s and came to be regarded as the grand old lady of German R&B. Whereas other German female vocalists such as Nina Hagen faded away over time, Rumpf consequently followed her path and never compromised herself artistically (unlike her ex-bandmate Udo Lindenberg, whose creativity died down by the end of the ‘80s when he started putting out lightweight pop). 


Born on August 2, 1946 in Hamburg, Rumpf started performing as a teenager with different blues bands in the Hamburg entertainment district of St. Pauli. In 1965, she founded the folk band City Preachers and recorded three albums with them. After a creative crisis in 1969, the band changed styles from folk to a mix of beat and soul. A new lineup reflected this: Jean-Jacques Kravetz (keyboards), Karl-Heinz Schott (bass) and Udo Lindenberg (drums) formed the core of the new band, which one year later was to become Frumpy when Udo Lindenberg left to start a solo career and was replaced by Carsten Bohn. Frumpy recorded only two albums, All Will Be Changed (1970) and Frumpy 2 (1971) -- the latter containing the hit single "How the Gipsy Was Born" -- but these two LPs rewrote German rock history. The band was praised as the best German rock act, and Rumpf was declared the greatest individual vocal talent of the German rock scene to date.


After Frumpy disbanded, Rumpf founded Atlantis in 1972, with Kravetz and Schott, along with new additions Frank Diez on guitar and Curt Cress on drums. The same year, the German music magazine Musik Express selected Rumpf best German vocalist, and her band, Atlantis, "best live and studio band." Several U.K. tours, alone and with Lindenberg, made her well-known in the English-speaking hemisphere as well. Atlantis disbanded in 1975 after three excellent years, and Rumpf released her first solo effort, 


Second Hand Mädchen, which was heavily influenced by Lindenberg who, two years earlier, had established himself as one of the most promising German rock acts. Lindenberg had shown that German lyrics work in rock songs, and so Rumpf switched to singing in German, too, although on her 1981 album, Reality, she sang in English again. She wrote all of the songs herself for this, and even produced it. Tina Turner did a cover of "I Wrote a Letter," which was released as the B-side of her 1984 comeback single "Let's Stay Together" (re-released as a bonus track on the centenary edition of her landmark album Private Dancer in 1998). Also in 1981, Rumpf widened her horizon by accepting a job as a lecturer at the Hamburg Musikhochschule (university of music). Her 1984 album, Liebe, Leiden, Leben, again containing German lyrics, earned critical acclaim and she proved not to have lost any of the power she'd radiated in the ‘70s with Frumpy and Atlantis.After a short Frumpy reunion in 1991-1992, the ‘90s saw Rumpf experimenting with jazz (with the 1994 album Fifty-Fifty with pianist Joja Wendt) and gospel music. In accordance with the philosophy of gospel, a significant number of her performances took place in churches, her lyrics became more spiritual, and increasingly revealed a Christian context without being preachy, so even atheists should be comfortable with the music of her later career. Critics hailed her 1996 album In the 25th Hour as her best to that point. Among other covers, the album contained her version of Ray Charles' hit "Unchain My Heart," as her best so far. The same year, the compilation The Best of All My Years was released. Her 1999 album, Walking in the Light, contained text adaptations of the biblical Sermon on the Mount.


From 2001 onward, Rumpf started to perform rock, R&B, and soul on a weekly basis in her hometown of Hamburg. Three years later, she founded her own record label, 25th Hour Music with the release of the live album Live im Michel. Rumpf's work with Frumpy and Atlantis, as well as her solo output of later years, is essential listening for everybody who wants to get to know German rock music.



Some albuns of this amazing singer:




It's full of Eastern sounding Folk Rock, sitars and psych sounds (On the Inga tracks). Electronics, Sitars, Eastern Rock Inga Rumpf and Dagmar Krasuse all mixed together to produce an experimental album. And it has the Avant Garde emergence for Dagmar on the flip.

Personnel:
Frank St. Peter: sax, flute
Hans Hartmann: Sitar, Kontrabass
Joe Nay: percussion
Wolfgang Kliegel: violin
Inga Rumpf: vocal
Dagmar Krause: vocal




Personnel:
Rainer Baumann – guitar
Carsten Bohn – drums
Karl-Heinz Schott – bass
Jean-Jacques Kravetz – keyboards
Inga Rumpf – vocals





Personnel:
- Inga Rumpf - female lead vocals, percussion, bottleneck guitar (07), acoustic guitar (07)
- Jean-Jacques Kravetz - Grand piano, Fender piano, organ
- Dieter Bornschlegel - guitar
- Karl-Heinz Schott - bass
- Ringo Funk - drums
- Gaspar Lawal - Afro-percussion (01,03,04)





Personnel:
Rumpf, Inga (vocals)
Askew, Adrian (Piano, organ, moog) 
Carter, Jackie (vocals)
Diez, Frank (guitar) 
Ringo (bass) 
Fields, Linda (vocals) 
Gaynair, Wilton (tenor sax, flute)
Marz, Rainer (guitar)
Rooyen, Ack van (trumpet)
Schott, Karl-Heinz (bass) 
Wigham, Jiggs (trombone)



Danke Inga !!!!!

domingo, 19 de outubro de 2014

Blaxploitation - Funk'n'Jazz & Soul from the 70's


Assim como o Pulp Fusion, esta série traz o que tem de melhor do som Blaxploitation dos anos 70. Só tem gente boa. Ouve aí!




2009 five CD set. 100% Blaxploitation brings together 100 original Funk and Soul tracks from the 1970s Blaxploitation era. Including cuts from Curtis Mayfield, Bobby Womack, The Meters, Aaron Neville and Funkadelic, 100% Blaxploitation is an essential collection, with every funky Soul classic you'll ever need. 100 Percent.











quinta-feira, 16 de outubro de 2014

Minor Giant - A New Dutch Progressive Rock Band


By Peter Hammil
New Prog Sounds from Netherlands

Minor Giant is a new Dutch progressive rock project founded by keyboardplayer/composer Rindert Lammers and drummer Roy Post. The project started to take shape in 2011 with the addition of vocalist/guitarist Jordi Repkes, bassplayer Harry den Hartog and additional keyboardplayer Jos Heijmans. The vocal version is sung by Christiaan Bruin from the very talented Dutch band Sky Architect.

The Band:
Rindert Lammers: Keys
Roy Post: Drums and Percussion
Jordi Repkes: Guitars and Vocals
Harry den Hartog: Basses
Jos Heijmans: Keys







More INFO:






segunda-feira, 13 de outubro de 2014

BLOGS FANTASMA III


Mais um bom blog que foi deixado à deriva. O Harmônica Perfumada, como o nome diz, era um blog dedicado ao som da gaitinha, muito comum no Blues. O Harmônica Perfumada apresentou a gaitinha nos mais diferentes formatos, do Jazz ao Tango e fez postagens incríveis. Em 2012, ele se despede educadamente... Uma excelente contribuição, um excelente blog. Muito Obrigado!

Selecionei o último post, o primeiro e uns que mais gostei...

http://harmonicaperfumada.blogspot.com.br/

Esclarecimentos

Informamos aqui que não havera mais postagens frequentes, para que nossos visitantes não se frustem ao encontrarem o blog desatualizado. No momento ele estara aberto a todos os usuários porem inativo. Isto se deve a fatores puramente pessoais, nada tendo a ver com o blog em si, e mesmo não sendo pela falta de material ainda por divulgar.

Interessante dizer que mesmo não sendo nosso perfil a inserção de filmes no blog (veja post), vamos encerrar aqui com mais um trabalho de Aurea Regina, (double Grammy nominated film). Espero que aqui tenha a divulgação que merece.

Musicos:
Solita Sin Soledad
Aurea Regina ( Rio De Janeiro / Brazil) Harmonica & Alto Flute
Carlos Santana (USA) Lead Guitar
Lila Downs (Oaxaca / Mexico ) Vocal
Shingo Ikegami (Koto) (Japan)
Duncan Acoustic guitar, Bass, Drums & Programming

este link foi desativado.

Harmonica Perfumada se despede



Aurea Regina

Aurea Regina
Maestrina, multi-instrumentista é muito pouco para falar de Aurea Regina, aqui ela faz parte do nosso quadro que é profissional da gaita, o que demonstra de fato ser ( das melhores ). Aproveitando o mes das mulheres, para homenagear ela que não deixa nada a dever aos nossos harmonicistas (homens). Um dos trabalhos que escolhemos aqui foi aproveitar o filme Buena Sorte em que toca 2 musicas (com gaita, tem participação com outros instrumentos) mais 2 musicas ao vivo, alem de outros trabalhos seu tocando gaita.


01. Soundtrack Buena Sorte - My uai
02. Soundtrack Buena Sorte - Tema do Zorro
03. A Rã (ao vivo)
04. Canta Loucura (ao vivo)
05. Cheyenne
06. Groove Dreams
07. Love song
08. Mother Child
09. O Arvoredo
10. Pedal Blues
11. Wild Dance

Link    -     Aurea Regina  (NOVO LINK)

sexta-feira, 10 de outubro de 2014

Judas Priest - The Metal Gods


A banda Judas Priest pode ser considerada uma das precursoras do heavy metal moderno sendo um dos grupos mais influentes do metal dos anos 70. Tratou-se da primeira banda a unir o peso e temática violenta criados pelo Black Sabbath à velocidade de alguns grupos de rock como o Deep Purple, adicionaram uma frente de ataque com duas guitarras e também foram os responsáveis pela retirada do blues característico de grupos de hard rock britânico dos anos 70 formado pela tríade Led Zeppelin, Black Sabbath e Deep Purple. Foram também responsáveis pela adoção das roupas de couro com adereços de metal cromados e correntes advindos do punk rock entre os apreciadores de rock.


Formada originalmente por Al Atkins (vocalista), K.K. Downing (guitarrista), Ian Hill (baixista) e John Ellis (baterista). O nome Judas Priest (baseado no nome de uma música de Bob Dylan, The Ballad Of Frankie Lee And Judas Priest) já havia sido usado por uma banda anterior de Atkins e Ellis, que logo sairiam da nova formação, dando lugar a Rob Halford (vocalista) e John Hinch (baterista) que tinham tocado na banda Hiroshima. Mais tarde se juntou à banda mais um guitarrista, Glenn Tipton (as guitarras dobradas seriam mais uma marca a ser imitada entre as bandas de heavy metal inglesas que se seguiram). Durante anos, lançando discos por selos locais, a banda não conseguiu sair do underground (a sonoridade era realmente má), mas conseguiu juntar uma legião de seguidores e outras bandas que copiavam seu estilo.


Uma grande banda de Heavy Metal que fez história e ainda está na ativa, tendo lançado um álbum em 2014.





Rocka Rolla é o álbum de estreia da banda Judas Priest, lançado a 6 de Setembro de 1974. Resolvemos incluí-lo no post, graças ao comentário de Saddam "...Hard rock de primeira qualidade! E é um disco até ignorado... O Rocka Rolla é uma obra prima ignorada. Uma pena!..."




Sad Wings of Destiny em 1976, disco bem participativo por Rob Halford, que teve boa repercussão pela crítica mas foi o último gravado pela Gull Records. Foi devido à falta de apoio por parte da Gull Records que levou a banda a assinar contrato com a Columbia Records. Logo de seguida a banda perdeu todos os direitos em relação aos dois primeiros discos, bem como todas as demos até aí gravadas. Mesmo tendo sido lançado em 1976 e ser apenas o 2º álbum de estúdio dos Metal Gods, Sad Wings of Destiny é até hoje eleito por muitos como o melhor trabalho da banda. Foi talvez um dos mais pesados já realizados pelo Judas Priest, foi o grande passo para a entrada da banda no mundo 100% do Heavy Metal, marcando um grande avanço e transição de estilo do primeiro álbum, estilo que a banda seguiu e aprimorou durante toda a década de 70, foi um disco que marcou época, eleito também um dos mais influentes do estilo, e que inspiraram várias outras bandas. O vocal de Rob Halford talvez tenha sido o melhor de todos nesse álbum, sua voz marcante começa a ganhar tom nesse trabalho, onde fica claro a grande "familiaridade" entre todos os integrantes. Grandes faixas foram produzidas e que marcariam a história do Heavy Metal, Tyrant, Island of Domination, The Ripper, Dreamer Deceiver, entre outras. E é claro a maior e melhor faixa de todo o disco, que posteriormente se tornaria um hino do estilo, Victim of Changes, mostra toda a habilidade e capacidade do Judas, não tão evidenciada no álbum anterior, a voz do deus do metal ficou simplesmente perfeita aqui.






Priest...Live! é o segundo álbum gravado ao vivo lançado em 1987. O disco tem faixas gravadas na arena The Omni, em Atlanta em 15 de Junho de 1986 e no Reunion Arena em Dallas, no dia 27 de Junho do mesmo ano. O Vhs do show foi gravado no Reunion Arena, em Dallas. Todas as faixas foram gravadas na turne de 1986 Fuel For Life, que tinha como base o álbum Turbo. Em 2002 foi reeditado uma remasterização com três faixas novas. Neste mesmo ano, foi lançado o vídeo (VHS) do show. Em 2003, o vídeo entrou para a coletânea em dvd Electric Eye, juntamente com os vídeos da banda e apresentações na BBC.








British Steel é o sexto álbum de estúdio da banda de Heavy Metal britânica Judas Priest. British Steel é tido muitas vezes como o melhor disco da banda e foi lançado durante a época do N.W.O.B.H.M. (New Wave Of British Heavy Metal) - em português: Nova Onda de Heavy Metal Britânico. Destaque para as músicas "Breaking the Law" e "Living After Midnight", que viraram verdadeiros hinos e de fácil assimilação. Nos Estados Unidos, foram premiados com disco de ouro pela RIAA em 1982, e com disco de platina em 1989. A banda gravou videoclipes para as músicas "Breaking the Law" e " Living After Midnight".






Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...