Choose your STYLE!!!

The Best Posts Session

David Bowie - Music & Art

David Bowie, nome artístico de David Robert Jones, Londres, 8 de janeiro de 1947) é um músico, ator e produtor musical inglês. Por vezes...

quarta-feira, 30 de abril de 2014

Sex Pistols - A Punk Rock Hurricane


Sex Pistols foi uma banda inglesa de punk rock, formada em Londres, no ano de 1975. Embora não tenham sido a primeira banda de punk do país, foram influentes por trazer o movimento punk do Reino Unido para a atenção mundial, e inspiraram diversos artistas posteriores de punk e rock alternativo. Sua carreira durou apenas dois anos e meio, e produziu apenas quatro singles e um álbum de estúdio, Never Mind the Bollocks, Here's the Sex Pistols. A banda era composta originalmente pelo vocalista Johnny Rotten, o guitarrista Steve Jones, o baterista Paul Cook e o baixista Glen Matlock. Matlock foi substituído por Sid Vicious no início de 1977. Sob a condução do empresário Malcolm McLaren, a banda criou controvérsias que cativaram a Grã-Bretanha; seus shows frequentemente eram fonte de problemas para organizadores e autoridades, e suas aparições públicas quase sempre terminavam em confusões. O single de 1977, "God Save the Queen", que atacava o conformismo social e a subsmissão à Coroa da sociedade britânica, precipitou a "última e maior epidemia de pandemônio moral com base no pop".


Em janeiro de 1978, ao fim de uma turbulenta turnê nos Estados Unidos, Rotten abandonou a banda e anunciou o fim dela. Ao longo dos próximos meses, os três outros integrantes gravaram músicas para a versão cinematográfica da história da banda, The Great Rock 'n' Roll Swindle. Vicious morreu de overdose de heroína em fevereiro de 1979. Em 1996 Rotten, Jones, Cook e Matlock se reuniram para a Filthy Lucre Tour e, desde 2002, se apresentaram em diversos shows e turnês. Em 24 de fevereiro de 2006, os Sex Pistols—os quatro membros originais, e Vicious—foram indicados para o Hall da Fama do Rock and Roll, porém se recusaram a comparecer à cerimônia, chamando o museu de "uma mancha de mijo".


Palhinhas:





Segue um Box, com 3 CDs:



Sex Pistols is a box set anthology of the career of the punk band The Sex Pistols with singer Johnny Rotten. It was released on 3 June 2002. The set comprises three themed CDs and an 80-page booklet. The first disc features Never Mind the Bollocks, the band's only studio album, in its entirety, as well as four B-sides and the band's first demo session. The second disc has demos and studio outtakes, from July 1976 to January 1977 and from the Never Mind the Bollocks sessions. This, together with the first disc, includes most of the material recorded by the band while Johnny Rotten was the singer. The third disc, composed of previously unreleased live tracks, is almost completely made up with an 31 August 1976 gig at Islington Screen on the Green Cinema. Live bonus tracks include songs never recorded in the studio, "Understanding", "Flowers of Romance" and the legendary live performance of "Belsen Was a Gas".


Uma coletãnea bem caprichada:



E o meu álbum favorito:



"A música precisa dar assistência a todo esse lixo (a sociedade britânica). A música tem que mostrar saídas para se vencer a estagnação. Ela tem que ser verdadeira mas também bem-humorada. E isso não é política." 
Johhny Rotten 

domingo, 27 de abril de 2014

Days Between Stations - A New Prog Concept (Art Rock to Post Prog)



Mais uma grande contribuição do amigo Peter Hammil ao nosso universo musical. Days Between Stations é uma banda relativamente nova no Prog World com conceitos diferenciados. Diferenciados porque os idealizadores da banda,  o guitarista Sepand Samzadeh e o tecladista Oscar Fuentes, buscaram integrar excelentes músicos em um ambiente que fosse capaz de expressar e desafiar suas criatividades (imaginação), suas expressões, definindo-as como um Art Rock para o Post Prog.



Uma rápida biografia do Prog Archives http://www.progarchives.com/artist.asp?id=3894 ):

Days Between Stations biography
Californian guitarist Sepand Samzadeh and keyboarder Oscar Fuentes founded DAYS BETWEEN STATIONS in November 2003. Their project is named after a novel written by surrealist Steve Erickson which was published first in 1985. The band can look back to a liaison with Pineapple Thief in 2004 which used some of their improvised material as the basis for the song 'Saturday' of the album '12 Stories Down'. For their eponymous debut released in 2007 Samzadeh and Fuentes managed to integrate some fine musicians to express their imagination of making music with a range from what they describe as art rock to post prog. Former Young Dubliners drummer Jon Mattox began to collaborate in 2005 and became the band's co-producer on top of it. Samzadeh's uncle Jeffrey, who sings traditional iranian music, lent his distinctive wail to the opening song 'Requiem For The Living'. DAYS BETWEEN STATIONS' first album is provided with two long tracks whereby 'Laudanum' with over 20 minutes is the centerpiece. A melancholic and charming effort with some references to Pink Floyd and fitted out with convincing brass contributions. Ambient soundscapes, contemporary classical moments and even a short new wave excursion are completing the wide stylistic boundaries - simply recommended for film music. Besides some plans to release an EP featuring non-album tracks and demos the band is working on a follow-up.
Rivertree (Uwe Zickel)


Segue o segundo álbum.

NOVO LINK...

Fuentes and Samzadeh's second album, In Extremis, was released in May 2013. It was produced by former Yes member Billy Sherwood and features contributions from veteran prog musicians Peter Banks, Rick Wakeman and Tony Levin

Uma palhinha:

Simplesmente uma sonzeira imperdível...

Site oficial da banda: ( http://daysbetweenstations.com/)

Thanks Peter

quarta-feira, 23 de abril de 2014

Uriah Heep - 45 Years On The Road


Uriah Heep é uma banda britânica de hard rock formada no final dos anos 1960. A banda se caracteriza por suas canções melódicas e vocais harmoniosos (cortesia do fato de todos os integrantes cantarem), além do uso do órgão Hammond B3 e guitarra com pedal wah-wah. Embora muitos considerem Uriah Heep, ao lado de Led Zeppelin, Deep Purple e Black Sabbath as 4 melhores bandas de Hard Rock/Heavy Metal do final dos anos 60 e início dos anos 70, é de conhecimento geral que não são nem um pouco conhecidos perto das anteriores. Apesar de seu sucesso na Europa, o Uriah Heep nunca conseguiu emplacar um grande sucesso nos Estados Unidos. A banda lançou vários álbuns de sucesso nos anos 1970, tendo grande repercussão principalmente na Europa e Ásia, mas decaiu em popularidade nas décadas seguintes. O grupo ainda existe e, considerado uma banda "cult", viaja freqüentemente em turnês pela Rússia, Japão, Alemanha, Escandinávia e Brasil, entre outros. Nos últimos anos vem gravando um DVD ao vivo anual em Londres (no evento conhecido como "The Magician's Birthday Party", "festa de aniversário do mágico", homenagem ao disco "Magician's Birthday"), todo mês de novembro. O primeiro, semi-acústico, foi gravado em novembro de 2001.


Uriah Heep é o nome de um personagem do romance David Copperfield de Charles Dickens. No romance, ele é o sócio perverso e fraudulento de Mr. Wickfield (o sogro de David), que acaba descoberto e preso.

Como todas as grandes bandas, Uriah Heep teve seus altos e baixos ao longo destes 40 e poucos anos de existência, além de vários músicos. O único músico constante desde a sua criação foi o guitarrista Mick Box ou Michael Frederick "Mick" Box. Mick é a verdadeira força de resistência e qualidade do Uriah Heep, uma grande banda que continua na ativa até hoje.



Palhinhas:




Seguem alguns álbuns:



Very 'eavy... Very 'umble álbum de estréia da banda inglesa Uriah Heep. Lançado nos Estados Unidos com uma capa alternativa , e com a faixa "Bird of Prey" no lugar de "Lucy Blues."



The Magician's Birthday is the fifth album released by British rock band Uriah Heep. The story line is "based loosely on a short story" written by Ken Hensley in June and July 1972. Even though it was recorded mere months after the preceding Demons and Wizards, the album features a notably different sound than the band's previous albums, with the aggressive hard rock toned down in favor of a cleaner appearance with more progressive elements, something which had only been hinted previously. This change in sound would define Uriah Heep's following outputs for roughly a decade. The original vinyl release was a gatefold sleeve, the front of which was designed by Roger Dean. The innerfold had pictures of the band, with the LP itself housed in a liner on which were printed the lyrics. Two songs charted in the United States, "Blind Eye" (#97) and "Sweet Lorraine" (#91). "Spider Woman" reached #13 in Germany. The title track is notable for an extended kazoo improvisation on the melody to "Happy Birthday to You". The Magician's Birthday was certified Gold by the RIAA on 22 January 1973.



Este é meu álbum preferido e durante muito tempo, minha única referência ao Uriah Heep. A abertura do disco com “Sunrise”, em poucos segundos, mostra a capacidade do Hammond de passar de um cândido som para um misto de frequências muito expressivo. Ken Hensley, que pilota as teclas do Uriah Heep sabe muito bem com fazer esse tipo de transição; passar o Hammond de um som quase litúrgico, como na introdução de “Circle of Hands”, para um som demoníaco e extravagante, como no pirado solo de “Gypsy” ou nas bases de “Look at Yourself”. Esse disco ao vivo, que registra uma performance do Uriah Heep em Birmingham, mostra o poder de fogo do órgão Hammond a serviço do rock pesado. O Hammond está presente em todas as faixas, exceto em “Tears in My Eyes”, em que Ken Hensley acompanha Mick Box na guitarra.




Um DVD para os fãs de Uriah Heep. Uma excelente resenha foi escrita no blog Consultoria do Rock :

Para finalizar, uma coletânea bem elaborada:





domingo, 20 de abril de 2014

Confraria dos Blogs - Som Mutante


Uma homenagem ao Dead do Som Mutante... Segue um post realizado em 20/08/2008, um de seus primeiros posts:
_________________________________________________________

20/08/2008


Bom, este é o cara!!! Falar mais dele o quê?

Talvez um pouco de sua infãncia,quando perdeu sua mãe por volta de 09 anos e seu pai já havia vazado. Ele então fingia morar com alguém no barraco que servia de abrigo pra eles na fazenda de algodão que trabalhava em Itta Bena, que era perto de Indianola no Mississippi.
Nessa época ainda chamava-se Riley Ben King e mal conseguia fazer uma refeição por dia,mas mesmo assim ao final do dia pegava um pedaço de pau que havia lixado e nele esticado uma linha de ferro e nesse tosco momento tentava tirar daquilo algum som; o que era muito dificil além de machucar os dedos.

Numa dessas o dono da fazenda sacando o lance foi até ele e fez uma proposta; ele lhe daria um violão e King teria descontado de seu trabalho parcelado o instrumento,claro que a proposta foi aceita e assim nosso herói conseguiu seu primeiro instrumento de verdade,que apesar de verdadeiro era tb tosco e continuava a lhe machucar suas mãos. Mas mesmo assim nas noites de Itta Bena se conta que começavam a ouvir belos acordes e melodias vindas não se sabe de onde mas que a todos qtos conseguiam ouvir embalava.


Bem essa é apenas uma parte das milhares de histórias da vida de B.B.King "O Cara", e aqui vai um som que alguns dizem raro,por não ser encontrado em qqr lugar e nem muito vendido;mas muito bem gravado a mais de 40 anos(1964) num local mágico de Chicago chamado The Regal Theater e com participações já especiais; a voz ainda não era a potência que conhecemos,mas é um registro fantástico de seu bom humor e musicalidade.
Enjoy!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

B.B.King - vocal e guitarra
Keneth Sands - Trumpet
Johnny Board e Bobby Forte - Trumpetes
Duke Jethro - Piano
Leo Lauchie - Baixo
Sonny freeman - Bateria

download

domingo, 13 de abril de 2014

Transatlantic - A Superb Prog Union


O Transatlantic é uma banda norte-americana de rock progressivo formada em 1999 pelo vocalista e tecladista Neal Morse do Spock's Beard e o baterista Mike Portnoy ex-baterista e líder da banda Dream Theater. O nome do grupo seria originalmente Second Nature, mas foi mudado após sugestão do artista Pet Nordin. O objetivo era fazer uma banda com os melhores integrantes da cena do rock e metal progressivo.Morse e Portnoy primeiramente desejavam incluir o guitarrista Jim Matheos (da banda Fates Warning) na formação da banda, mas como sua presença não foi possível, o guitarrista e vocalista Roine Stolt (da banda The Flower Kings) foi convidado. A formação se tornou completa com a adição do baixista e veterano do rock progressivo Pete Trewavas, da banda Marillion.


Seu primeiro álbum SMPT:e (2000) recebeu críticas positivas, apesar de ser considerada por muitos um derivado de estilos progressivos contemporâneos. Uma turnê pelos Estados Unidos levou a um álbum duplo ao vivo, Transatlantic Live in America, e um videoclipe com o mesmo nome. A banda mostrou sua versatilidade neste álbum, apresentando covers de Beatles (Strawberry Fields Forever) e Genesis (um medley do épico Watcher of the Skies e Firth of Fifth.)

Agora, você deve estar morrendo de curiosidade para ouvir esta banda:


Apesar de SMPT:e conter a obra de trinta e um minutos All of the Above, o segundo álbum de estúdio, Bridge Across Forever (2001), mostrou a banda se voltando mais para o lado do rock progressivo. Ele contém somente quatro faixas. A banda havia terminado após a saída de Morse para lançar uma carreira solo como cantor cristão, o que também incluiu sua saída do Spock's Beard. Um DVD ao vivo da última turnê da banda foi lançado em 2003, apresentando vários épicos do rock progressivo, além de um medley do álbum Abbey Road, dos Beatles. A versão estendida ainda conta com um cover de Shine on You Crazy Diamond, do Pink Floyd. Como bônus para os fãs de metal progressivo, Daniel Gildenlöw, da banda Pain of Salvation, participa do DVD como quinto membro da banda, tocando teclado, guitarra, percussão vocal.

Este também vocês tem que ouvir:


Em abril de 2009 o serviço de newsletter da banda Dream Theater anunciava o retorno da banda Transatlantic. O site oficial da banda também divulgava seu retorno com o lançamento de um novo álbum chamado The Whirlwind que foi lançado no final de 2009. Um novo álbum foi lançado também em 2014 - Kaleidoscope.

Discografia:
Álbuns em estúdio
SMPT:e (2000)
Bridge Across Forever (2001)
The Whirlwind (2009)
Kaleidoscope (2014)

Álbuns ao vivo
Live in America (2001)
Live in Europe (2003)
Whirld Tour 2010: Live in London (2010)
More Never Is Enough: Live In Manchester & Tilburg 2010 (2011)

Outros álbuns
Bridge Across Forever Limited Edition (2001)
The Transatlantic Demos (por Neal Morse) (2003)
SMPTe - The Roine Stolt Mixes (2003)

Integrantes:
Neal Morse - vocal, teclado e guitarra
Mike Portnoy - bateria e vocal de apoio
Roine Stolt - guitarra e vocal de apoio
Pete Trewavas - baixo e vocal de apoio

Seguem os dois primeiros álbuns e um Mix, desta grande banda, formada por feras do Prog.











Mais uma indicação de Peter Hammil (Thanks Peter).




terça-feira, 8 de abril de 2014

Willowglass - Symphonic Neo Prog


Esta banda é uma descoberta recente. Nunca havia escutado um álbum inteiro até vir um presente de Peter Hammil em nossos comments... Fiquei realmente fascinado com o som de Willowglass e gostaria de dividir aqui... 

Biography by Prog Archives ( http://www.progarchives.com/artist.asp?id=1694 )
WILLOWGLASS is solo artist/multi-instrumentalist Andrew Marshall who lives in Yorkshire, England. Although involved in music from a young age and has played in various local groups over the last 20 years, the self-titled debut is his very first solo outing. Andrew's work blends 1970's style progressive rock with elements of classical music, adding a colourful palette of emotions & mood to his compositions, which have a uniquely English pastoral feel. It is clear that his inspiration has come from numerous symphonic prog rock bands since the 60s/70s and there are notable references to early GENESIS, YES, CAMEL and even a touch of PINK FLOYD thrown in for good measure.  The self-titled debut (2005) contains ten instrumental tracks recorded between September 2004 and April 2005, with lashings of mellotron, flute, 12-string acoustic & electric guitars. If you listen carefully you may find references to other works such as : CAMEL- "Rain Dances", GENESIS- "Selling England By The Pound", BARCLAY JAMES HARVEST - "Everyone Is Everybody Else" and YES - "Fragile". However, this is NOT just a hackneyed clone of past Classics, it is a sophisticated, graceful & intelligent interpretation of these, taking the lucky listener on a journey into lush green pastures where we can forget the busy world and almost believe we are back in 1970's again ...

HIGHLY RECOMMENDED to those who like any of the 1970's classic prog bands mentioned above and especially for those who like the style & mood of Anthony PHILLIPS' "The Geese & the Ghost" .





Thanks Peter Hammil.

sábado, 5 de abril de 2014

David Bowie - Music & Art


David Bowie, nome artístico de David Robert Jones, Londres, 8 de janeiro de 1947) é um músico, ator e produtor musical inglês. Por vezes referido como "Camaleão do Rock" pela capacidade de sempre renovar sua imagem, tem sido uma importante figura na música popular há cinco décadas e é considerado um dos músicos populares mais inovadores e ainda influentes de todos os tempos, sobretudo por seu trabalho nas décadas de 1970 e 1980, além de ser distinguido por um vocal característico e pela profundidade intelectual de sua obra. Embora desde cedo tenha realizado o álbum David Bowie e diversas canções, Bowie só chamou a atenção do público em 1969, quando a canção "Space Oddity" alcançou o quinto lugar no UK Singles Chart. Após um período de três anos de experimentação, que incluem a realização de dois significativos e influentes álbuns, The Man Who Sold the World (1970) e Hunky Dory (1971), ele retorna em 1972 durante a era glam rock com um alter ego extravagante e andrógino chamado Ziggy Stardust, sustentado pelo sucesso de "Starman" e do aclamado álbum The Rise and Fall of Ziggy Stardust and the Spiders from Mars. Seu impacto na época foi um dos maiores cultos já criados na cultura popular. Em 1973, o disco Aladdin Sane levou Ziggy aos EUA. A vida curta da persona revelaria apenas uma das muitas facetas de uma carreira marcada pela reinvenção contínua, pela inovação musical e pela apresentação visual.


Em 1974, o álbum Diamond Dogs previa, com seu som e sua temática caótica, a revolução punk que surgiria anos depois. Em 1975, Bowie finalmente conseguiu seu primeiro grande sucesso em território americano com a canção "Fame", em co-autoria com John Lennon, do álbum Young Americans. O som constitui uma mudança radical no estilo que, inicialmente, alienou muitos de seus devotos no Reino Unido. Nessa etapa, a carreira musical de Bowie se renovou e seguiu novos rumos. Após a criação de uma nova persona, Thin White Duke, apresentada no aclamado Station to Station (1976), que traz um Bowie interessado em misticismo, Cabala e Nazismo, ele confundiu as expectativas de seu público americano e de sua gravadora com a produção do minimalista Low (1977)—a primeira das três colaborações com Brian Eno durante os próximos dois anos. A chamada "Trilogia de Berlim" (com "Heroes" e Lodger) trouxe álbuns introspectivos que lograram o topo nas paradas britânicas e que ganharam admiração crítica duradoura. 


Seguindo o sucesso comercial irregular no final dos anos 70, a canção "Ashes to Ashes" do álbum de 1980 Scary Monsters (and Super Creeps) alcançou o primeiro lugar no Reino Unido e lançou bases para um novo movimento chamado New Romanticism. No ano seguinte, junto à banda Queen, escreveu e cantou a canção "Under Pressure" e em seguida atingiu novo pico comercial com o álbum Let's Dance (1983), que rendeu sucessos com a canção homônima e o fez cativar nova audiência. Ao longo dos anos 1990 e 2000, Bowie continuou a experimentar novos estilos musicais, incluindo os gêneros industrial, drum and bass, e adult contemporary. Seu último álbum de inéditas foi por muito tempo Reality, uma mistura de melancolia e humor, suportado pela A Reality Tour de 2003–2004. Após um período de quase dez anos em hiato, anuncia The Next Day pelo Facebook e pelo seu novo website. Seu novo albúm (The Next Day), está com três indicações ao Grammy (Melhor performance de rock 'Stars Are Out Tonight), Melhor Conteúdo Extra (The Next Day Extra) e melhor álbum de rock.


A influência de David Bowie é única, musical e socialmente. Como escreveu o biógrafo David Buckley, "ele penetrou e modificou mais vidas do que qualquer outra figura comparável."1 De fato, grande é sua influência no mundo da música entre artistas e bandas mais antigas e a nova geração (Ver Influência), e, além de ter auxiliado movimentos como a libertação gay e a recriação de uma nova juventude independente, introduziu novos modos de se vestir na cena musical e tem uma carreira prestigiada no cinema. Em 2002, ficou em 29º lugar na lista popular 100 Greatest Britons e já vendeu mais de 136 milhões de álbuns ao longo de sua carreira. Foi premiado no Reino Unido com 9 certificações de álbum de platina, 11 de ouro e 8 de prata, e, nos Estados Unidos, 5 de platina e 7 de ouro. Em 2004, a Rolling Stone colocou-o na 39ª posição em sua lista dos "100 Maiores Artistas do Rock de Todos os Tempos" e em 23º lugar na lista dos "Melhores Cantores de Todos os Tempos".


David Bowie, respeitado por todos músicos. Suas canções atravessaram as gerações e todos os modismos, sendo sempre de vanguarda. Inovou, criou e influenciou... Nossa reverência a este ícone da música.

Gosto de vários discos do Bowie, mas aqui apresento os que ouvi mais, os que me impactaram pela letra e que me fizeram admirar sua obra.




The Remains From The Rise Of Ziggy Stardust
Part I
Part II


The Rise and Fall of Ziggy Stardust and the Spiders from Mars (often shortened to Ziggy Stardust) is a 1972 concept album by English rock musician David Bowie. It peaked at number five in the United Kingdom and number 75 in the United States on the Billboard Music Charts. A concert film of the same name directed by D.A. Pennebaker was released in 1973.
Conception and inspiration
The album presents, albeit vaguely, the story of "Ziggy Stardust", the human manifestation of an alien being who is attempting to present humanity with a message of hope in the last five years of its existence. Ziggy Stardust is the definitive rock star: sexually promiscuous, wild in drug intake and with a message, ultimately, of peace and love; but he is destroyed both by his own excesses of drugs and sex, and by the fans he inspired. In interviews, Bowie has said that the real-life inspiration for Ziggy was chiefly Vince Taylor, though the lyrics hint at Jimi Hendrix ("played it left hand ... jiving us that we were voodoo") and the character was likely a composite. Bowie claimed that the name came from a tailor's shop in London called Ziggy's. He later told Rolling Stone it was "one of the few Christian names I could find beginning with the letter 'Z'". "Stardust" comes from one of Bowie's labelmates, a country singer named Norman Carl Odam, The Legendary Stardust Cowboy. Bowie covered a Legendary Stardust Cowboy song, "I Took a Trip (On a Gemini Spaceship)" thirty years later on Heathen. Rock keyboardist Rick Wakeman was given the opportunity to play keyboards on the album but Rick opted to join the progressive rock group Yes instead.
In 1997, Ziggy Stardust was named the 20th greatest album of all time in a Music of the Millennium poll conducted in the United Kingdom by HMV Group, Channel 4, The Guardian and Classic FM. In 1998, Q magazine readers placed it at number 24 and Virgin All-time Top 1000 Albums ranked it at number 11, while in 2003 the TV network VH1 placed it at number 48. It was named the 35th best album ever made by Rolling Stone on their list of the 500 Greatest Albums of All Time. In 2000 Q placed it at number 25 in its list of the 100 Greatest British Albums Ever. In 2004 it was placed at number 81 in Pitchfork Media's Top 100 Albums of the 1970s. In his 1995 book, "The Alternative Music Almanac", Alan Cross placed the album in the #3 spot on the list of '10 Classic Alternative Albums'. In 2006, the album was chosen by TIME magazine as one of the 100 best albums of all time. In 2005, Seu Jorge did a cover album of 14 Bowie songs, many of them from Ziggy Stardust, as a soundtrack for the movie The Life Aquatic with Steve Zissou called The Life Aquatic Studio Sessions. The translation into Portuguese is not always exact, as Seu Jorge maintains the melodies and styles, but often varies the lyrics. Musician Saul Williams named his 2007, Trent Reznor produced album The Inevitable Rise and Liberation of NiggyTardust!. In 2009, Techno Cowboy covered the entire album from start to finish using just the Omnichord called "The Ziggy Stardust Omnichord Album".



Diamond Dogs é um álbum conceitual de David Bowie, originalmente lançado pela RCA em 1974. O assunto era a natureza apocalíptica do romance 1984 de George Orwell. Bowie queria realizar uma produção cinematográfica de 1984, mas os detentores dos direitos autorais de Orwell negaram os direitos. Então Diamond Dogs foi produzido usando o material e como o título da canção mostra, o tema 1984 ainda está muito em evidência. A arte de capa no álbum original contém um animal metade cão - metade Bowie pintada por Guy Peellaert.

E para finalizar, uma parceria fenomenal do homem camaleão e uma sumidade do Blues:

David Bowie & Stevie Ray Vaughan - 1983 - Dallas Moonlight 
(Texas 83)





Recorded live at Las Colinas Soundstage, Dallas, TX, USA - April 27, 1983.

Disc 1 
01. Star
02. Heroes
03. What In The World
04. Look Back In Anger
05. Joe The Lion
06. Wild Is The Wind
07. Golden Years
08. Fashion
09. Lets Dance
10. Red Sails
11. Breaking Glass
12. Life On Mars
13. Sorrow
14. Cat People (Putting Out Fire)
15. China Girl
16. Scary Monsters (Super Creeps)
17. Rebel Rebel
18. I Can't Explain
19. White Light White Heat

Disc 2 
01. Station To Station
02. Cracked Actor
03. Ashes To Ashes
04. Space Oddity
05. Young Americans
06. Soul Love
07. Hang Onto Yourself
08. Fame
09. TVC15
10. Stay
11. Jean Genie
12. Modern Love
13. Life On Mars (Mess Up)
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...