Post Reviewed

The Drum Nation (I & II)

Drum Nation Volume 1 features the Worldís Greatest Drummers performing with ensembles or solo. Terry Bozzio; Bill Bruford; Steve Smit...

segunda-feira, 18 de junho de 2012

Harmonica and Music





A gaita, harmônica, ou harmônica de boca (também conhecida como realejo em algumas partes do nordeste brasileiro) é um instrumento musical de sopro cujos sons são produzidos por um conjunto de palhetas livres. Esse instrumento possui em sua embocadura um conjunto de furos por onde o instrumentista sopra ou suga o ar. Devido ao seu pequeno tamanho, a gaita não possui caixa de ressonância. O gaitista usa as mãos em concha para amplificar o som do instrumento e também para produzir efeitos, como variações de afinação e intensidade ou vibrato. Quando executada em conjunto com outros instrumentos, é comum que ela seja amplificada eletronicamente. A gaita é bastante usada no blues, rock and roll, jazz e música clássica. Também são muito comuns os conjuntos compostos apenas de gaitas, as chamadas Orquestras de Harmônicas, que normalmente tocam músicas tradicionais ou folclóricas.
A gaita é um dos instrumentos musicais mais antigos, e foi descrita, com diversos nomes, por gregos, romanos e povos germânicos. Feita com pele de cabra, os romanos a identificavam com um odre (espécie de saco feito de pele) e a chamavam utriculus (pequeno odre); Suetonio conta que Nero se ofereceu em certa ocasião para se apresentar como utricularius, isto é, tocador de pequeno odre, como castigo por não ter vencido um torneio de poesia. Os invasores germânicos, que conquistaram a Península Ibérica no século VI da Era Comum, levaram a gaita, que chamavam gaits, palavra que em sua língua significava "cabra". Este nome se manteve em outras línguas como gayda em servo-croata , gainda em húngaro e gaita em português. Em algumas regiões da Espanha prefere-se o termo latino cornamusa, empregado também na França (cornemuse).
A gaita teve sua origem em um antigo instrumento chinês, o sheng, que foi inventado há mais de cinco mil anos e que funciona pelo princípio de palhetas livres. Esta técnica de produção sonora gerou uma grande família de instrumentos acionados por foles ou bombas de ar, como o acordeão e a melódica. Em órgãos é comum que alguns tubos sejam flautados e outros utilizem palhetas livres para produzir sons com timbres diferenciados. Em 1821 um relojoeiro alemão chamado Christian Ludwig Buschmann inventou um instrumento semelhante à gaita atual com 15 palhetas e 10 cm de comprimento, mas esse instrumento foi encarado como um brinquedo e não foi considerado adequado para a execução musical. Em 1857 um outro relojoeiro alemão, Matthias Hohner, fundou uma companhia e começou a fabricar as chamadas harpas de boca ou órgãos de boca com 10 furos. O instrumento passou a vender muito bem na Alemanha, França, Itália e nos Estados Unidos.
Na Europa a gaita se tornou um instrumento muito popular na música folclórica e surgiram bandas e orquestras especializadas neste instrumento. Nos Estados Unidos foi muito utilizada na música country. Com o surgimento do blues no início do século XX, a gaita chegou ao seu auge e daí garantiu a participação em outros gêneros musicais, como o jazz, folk music, rock and roll e até na música clássica.

Existem alguns blogs dedicados a harmonica e dentre eles creio que o harmonica perfumada ( http://harmonicaperfumada.blogspot.com/ ) merece um destaque...

A seguir, apresentamos alguns albuns... Os meus preferidos de Harmonica:











quinta-feira, 7 de junho de 2012

Rock Progressivo II

O Valvulado segue em frente... Gosto de vários tipos de música, como já devem ter percebido pela postagem eclética, porém o Rock Progressivo é meu som preferido. Este estilo de som nunca foi considerado ultrapassado e cada vez mais, aparecem bandas novas tocando Rock Progressivo. Segue umas bandas que sempre gostei, tenho o Vinil e digitalizei, há mais de dez anos...



Emerson, Lake & Palmer (ou ELP) é uma banda de rock progressivo britânica formada nos anos 70 por Keith Emerson (teclado), Greg Lake (guitarra, baixo e vocais) e Carl Palmer (bateria). Entrou para história da música por ser a primeira banda de rock a levar um sintetizador, na época um aparelho gigantesco, monofônico e analógico, para um show, em fins da década de 1960.




Eloy é uma banda alemã de rock progressivo, cujos estilos musicais incluem rock sinfônico e space rock, este último principalmente presente nos álbuns mais recentes. O nome da banda foi inspirado em Eloi, uma raça do futuro na novela A Máquina do Tempo, de H.G. Wells. Fundada no final dos anos 1960 pelo guitarrista Frank Bornemann, a banda sofreu várias mudanças, sendo Bornemann o único membro consistente do grupo. Foi inspirada por bandas como The Beatles, The Shadow e Pink Floyd, este último pelo tom de space rock que possuia na época. A princípio, a banda tocava hard rock, inspirada por temas políticos, mas logo passou para um som mais progressivo, com elementos de space. Baseado principalmente nos solos de guitarra de Bornemann, o som da banda também inclui o vasto uso de sintetizadores e coros.



Saga é um quinteto de Rock Progressivo do Canadá.



Jethro Tull é uma banda de rock formada em Blackpool em 1967. Sua música é caracterizada pelas letras, o estilo vocal cheio de maneirismos e o trabalho único na flauta de seu líder Ian Anderson, além de uma complexa e pouco usual construção musical. Inicialmente calcado no estilo blues rock, o Jethro Tull eventualmente incorporou a seu som elementos de música clássica, folk, jazz e art rock. A banda vendeu mais de 60 milhões de discos ao redor do mundo. Rock Progressivo de primeira....






Banda de Rock Progressivo da Inglaterra.
Pallas biography


PALLAS is, after MARILLION, and along with IQ and PENDRAGON, one of the most important acts of the Eighties Progressive rebirth. This is an energetic and magnificent neo progressive band in the style of IQ/MARILLION but with more edge. Their music is centered on melodic hooks, loud sound and great voice. "The Sentinel" brings a tint of pop in a still elaborate progressive spectrum.
Scottish prog band PALLAS definitely have one of the longest gaps between albums on record. They released their first album, "The Sentinel" in 1984 and followed it up with "The Wedge" two years later. Their next album, "Beat the Drum" (72 minutes of music with epic accents, rock rhythms and style, and ballads full of feeling), did not show up for 13 years. It will be followed by the wonderful "The Cross And The Crucible" in 2001. This album features all the things prog fans are looking for - atmospheric keyboards, great guitar tunes and a well working rhythm section - and last but not least an vocalist with an very own style. Highly recommended to fans of neo Progressive style.
(Extraído de http://www.progarchives.com/artist.asp?id=283 ).





E os grandes nomes do rock progressivo, que dominaram o cenário dos anos 1970, com seus shows épicos e apoteóticos? Eles não poderiam ficar de fora da lista, correto? Pois bem, os britânicos do Yes, talvez a banda que mais sintetize tudo aquilo que os fãs de progressivo gostam, está presente na lista, com um vinil triplo (sim, eles ousaram!): “Yessongs”, lançado em 1973, e gravado na tour do grandioso “Close To The Edge”. O disco traz Rick Wakeman em sua melhor forma, mostrando porque é considerado o grande mago dos teclados. O resto da banda, obviamente, não deixa por menos e arrebenta tudo. Os destaques são muitos (afinal, temos um disco triplo em mãos): “Heart Of The Sunrise”, “Siberian Kathru”, “And You And I”, “Roundabout”, “I’ve Seen All Good People”, “Starship Trooper” e, claro, “Close To The Edge”. Além dos magníficos solos de Wakeman e Steve Howe. “Yessongs” foi também filmado, obviamente com bem menos canções, e recentemente seu DVD podia ser encontrado até em bancas de jornais.
 
E estas são as postagens, rezando para não serem deletadas....
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...