Choose your STYLE!!!

The Best Posts Session

David Bowie - Music & Art

David Bowie, nome artístico de David Robert Jones, Londres, 8 de janeiro de 1947) é um músico, ator e produtor musical inglês. Por vezes...

sexta-feira, 28 de outubro de 2011

Sábado é dia de Música Brasileira

Grandes músicos, grandes bandas brasileiras que passaram quase desapercebidas na década de 70, 80... Curtam bastante!


Itamar Assumpção - Ataulfo Alves por Itamar Assumpção









Grande álbum de Itamar Assumpção. Itamar foi um grande músico inovador, misturando Rock, samba e Funk. Poeta e um músico genial, sempre viveu à margem da mídia. foi um grande parceiro de Arrigo Barnabé, bem no início de sua carreira. Faleceu em 2003 deixando grandes músicas. Este álbum é fantástico... Versões ousadas para Amélia e Laranja Madura...






Arrigo Barnabé - Clara Crocodilo (1980)

Como dizem por aí, o som do Arrigo Barnabé não é para qualquer um. Primeiro disco do Arrigo Barnabé, realizado em 1980.





Zé Rodrix - Quem Sabe, Sabe (1974)









Zé Rodrix participou da banda Som Imaginário, reunindo-se logo depois com Sá e Guarabyra, formando o trio Sá, Rodrix e Guarabyra. Zé Rodrix é considerado o criador do Rock Rural, com inflências regionalistas, tropicalistas, folk, country e Rock. Este disco solo é simplesmente excelente!








sexta-feira, 21 de outubro de 2011

Sobrado 112


Em tempo de remakes et novas roupagens em músicas de 10, 20, 30 ou mais anos de criação, fui surpreendido pela qualidade e bom gosto deste grupo cujo veio a tona sobretudo após o SWU de Itu.

Fui conhecer o Pub Zeppellin em Jabuca em um open bar mais ou menos, porém, o show do Sobrado 112 valeu a noite. Para melhorar, após a apresentação, o trumpetista puxou assunto comigo, perguntou se gostei e elogiou meu interesse, depois me ofereceu o CD deles, que faço questão de divulgar neste blog criado para unir os amantes da boa música.

Apreciem esta amostra








Foto de Sobrado 112

O gênero musical da banda Sobrado 112 foi batizado de Skapolca, combinação do ritmo jamaicano Ska com a polca – estilo de música e dança de compasso binário. Ficou confuso? Façamos a brincadeira então de juntar os elementos: ritmos caribenhos, jazz, R&B e dança. Saia um pouco da fórmula e adicione aí mais alguns elementos como reggae, dub, samba-rock e demais ritmos baseados no groove. Está aí a fórmula do som do Sobrado 112. http://www.lastfm.com.br/music/Sobrado+112 )


Foto de Sobrado 112
Tudo começou num sobrado lá no bairro da Glória, entre a Lapa e o morro do Santo Amaro, no Rio de Janeiro. Uma casa sempre cheia de amigos e música. Um pessoal de responsa, já tocaram com algumas bandas como Cidade Negra, Elba Ramalho, Marcos Vale, entre tantos. No sobrado morava Victor Gottardi e Leandro Joaquim… Entre farras e “churras” conheceram o Claudinho. Música vai, música vem, e tudo se transformou numa grande e acolhedora casa da música. Com influências de samba, dub, jazz e funk o grupo ‘Sobrado 112′ faz um barulho de respeito…






Foto de Sobrado 112



quinta-feira, 20 de outubro de 2011

The Who - Who's Next

Hoje, nos clássicos do Rock: The Who....



Bohannon - Stop & Go (1973)







Hamilton Bohannon foi baterista do Stevie Wonder e líder de várias bandas, sempre com ritmos fortes, baixos marcantes. Participou de vários shows promovidos pela Motown e foi aclamado como um dos grandes bandleaders, percusionista e produtores da Disco/Dance Music. Este álbum é uma mistura de R&B e Funk. Baixem e dancem!

The J.B.'s - The Best (1972)






The J.B.'s (algumas vezes The JB's ou The J.B.s) foi a banda de James Brown durante a primeira metade dos anos 70. Os J.B.'s se apresentavam algumas vezes com vários nomes alternados como The James Brown Soul Train, Maceo and the Macks, The First Family e The Last Word. Além de ser a banda de apoio de James Brown, os J.B.'s também tocaram para Bobby Byrd, Lyn Collins e outros cantores associados com James Brown, bem como tinham seu próprio repertório.

The J.B.'s foi a banda de James Brown durante o início dos anos 70. Funk & Soul rasgado. Um disco bem raro, um vinil digitalizado que é uma obra prima.

segunda-feira, 10 de outubro de 2011

Betty Davis - Nasty Girl (1975)

Betty Davis foi esposa de Miles Davis. Cantora negra de Funk & Soul, lançou apenas três albuns. A historia conta que teve um affair com Jimmi Hendrix. O som é de primeira, um funk no estilo James Brown.

Sandra de Sá - Funk & Soul Brazil




Sandra Cristina Frederico de Sá (Rio de Janeiro, 27 de agosto de 1955) é uma cantora e compositora brasileira, expoente da Música Popular Brasileira, com denso enfoque em black music mundial. É uma das maiores cantoras do Brasil sendo considerada a Aretha Franklin, e até a Billie Holiday do Brasil.



sexta-feira, 7 de outubro de 2011

Sexta Sound






Escolha seu som... E divirta-se. Um bom final de semana... Equipe Valvulado






Osibisa - Osibisa (1971)




Osibisa foi uma banda pan-africana, com músicos do Ghana, Nigéria e Caribe, radicados na Inglaterra. A banda misturava os ritmos africanos com rock, jazz e música latina. Batera e baixo combinados com uma percussão tribal poderosa, metais e teclado. Simplesmente incrível. Vinilzão digitalizado, só aqui no Valvulado.

Corduroy - Dad Man Cat (1992)





Corduroy é uma banda inglesa pouco conhecida de Acid Jazz. Seu primeiro álbum (Dead Man Cat) é um álbum instrumental inspirado nas trilhas sonoras dos filmes dos anos 70. O som é demais!

Deep Purple - In Rock (1970)





Um grande clássico do Rock. Não precisa dizer mais nada. Terceiro álbum da banda, que até hoje agita os palcos do Rock.

domingo, 2 de outubro de 2011

Domingão é dia de som, Domingão é dia de ROCK




Não menos controverso, “Live Killers” (1979), do Queen, foi registrado ao longo da tour européia do álbum “Jazz”, mais notadamente na França. As críticas por parte da mídia especializada desta vez se direcionavam à performance morna da banda em muitas canções, fato contestado pelos fiéis seguidores da banda (dentre os quais, este que vos escreve). Outro ponto foram algumas discussões internas e o perfeccionismo da banda, que acabaram por gerar alguns “overdubs” (sempre eles), probleminhas de mixagem em uma ou outra faixa, e a exclusão de alguns temas até então obrigatórios em todos os shows da banda, como a grande “Somebody To Love”, que só foi ter sua primeira versão ao vivo oficial em disco quando do lançamento do CD “Queen On Fire”, gravado em Milton Keynes em 1982. O álbum foi, contudo, responsável pela versão que todos conhecemos de “Love Of My Life”, que se tornou clássico instantâneo nos shows, especialmente no Brasil. E tem ainda “Bohemian Rhapsody”, “Don’t Stop Me Now”, “Brighton Rock” (incluído aí o solo do grande Brian May), a dobradinha “We Will Rock You”/“We Are The Champions”... Apenas anos mais tarde, após o falecimento de Freddie Mercury, com o lançamento póstumo de “Live At Wembley ‘86”, a banda conseguiu unanimidade entre fãs e crítica...




No seu terceiro álbum, o MANOWAR estava realmente honrando o power metal. "Hail to England" tinha algumas das letras extravagantes e a postura já comum da banda, mas a composição e a musicalidade estavam realmente boas. O álbum começa com tudo com a sensacional "Blood of my Enemies" e mantem a qualidade até a épica "Bridge of Death" no final. Esta foi a banda que colocou o poder no power metal.



Esta é a terceira aparição do RAVEN no top 10 em três anos, mas também é sua última. O terceiro álbum era ótimo, mas depois disso a popularidade e qualidade musical deles sumiu. "All for One" mostra os vocais de John Gallagher em alta frequência, e a guitarra de seu irmão Mark em perfeita forma. O New Wave of British Heavy Metal estava se enfraquecendo, mas o RAVEN em 1983 teve seu pico.



Este foi o segundo de três álbuns marcantes lançados em três anos entre 81 e 83. Ele tem o som da banda no seu melhor momento. As músicas combinam o NWOBHM com thrash/speed metal, que seria um gênero que decolaria nos próximos anos. É um álbum poderoso e que sobreviveu bem ao teste do tempo.




O RAVEN fez parte do New Wave of British Heavy Metal, e seu álbum de estreia foi também o melhor deles. Eles sempre foram ofuscados pelos seus contemporâneos, como o IRON MAIDEN e o JUDAS PRIEST, mas o trio britânico soltou alguns álbuns excelentes no início da década. Eles tocavam de maneira rápida e crua, e quase poderiam ser classificados como Speed Metal. Lars Ulrich do METALLICA foi um dos primeiros fãs da banda.




O RIOT era uma banda de metal de Nova Iorque que teve seu início no meio da década de 70. Este álbum foi o melhor deles, e depois dele o vocalista Guy Speranza deixou a banda e eles nunca mais foram os mesmos. É uma banda que nunca teve muito sucesso comercial e muitos fãs de metal não estão cientes da sua existência. O início do catálogo deles merece ser explorado, especialmente este álbum, que é excelente e melódico, com diversos hinos do rock de arena.




O DIAMOND HEAD era uma banda que teve uma forte influência no METALLICA, que depois acabaria por fazer covers de várias de suas músicas. "Am I Evil", "Helpless" e "The Prince" são deste álbum de sete músicas










Warhorse - Redsea (1972)





Mais uma grande banda no Clássicos do Rock do Valvulado. Banda inglesa, formada no início dos anos setenta,assim que Nick Simper deixou o Deep Purple. Em sua primeira formação contou com os teclados de Rick Wakeman. Um Hard Rock com algumas pinceladas de Rock Progressivo.


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...