terça-feira, 2 de dezembro de 2014

Scorpions - German Heavy Metal


Scorpions é uma banda de rock originária de Hanôver, Alemanha fundada em 1965 pelo guitarrista Rudolf Schenker, sendo a primeira banda de hard rock formada no país germânico. No início eram chamadas de Nameless (aqueles sem nomes), depois passou para The Scorpions até o final de 1969, depois foram chamados simplesmente de Scorpions. O primeiro álbum da banda foi o LP Lonesome Crow de 1972, com os irmãos Rudolf e Michael Schenker nas guitarras. No ano seguinte, Michael deixa a banda e foi substituido pelo guitarrista Uli Jon Roth, que gravou os álbuns Fly to the Rainbow, em 1974, In Trance em 1975, Virgin Killer, em 1976 e Taken by Force em 1977. O som da banda no início dos anos 70 era originário do hard rock/heavy metal, com nuances de rock psicodélico e com o som mais pesado do que as obras posteriores, já inclinados a uma corrente mais comercial. O último trabalho da "era Uli Jon Roth" é o álbum ao vivo Tokyo Tapes de 1978.


Após a saída de Roth, vem outro jovem alemão Matthias Jabs para ser guitarrista, quando começa o caminho da banda para o mercado dos Estados Unidos com o disco Lovedrive de 1979, que recebeu disco de ouro no país. Na mesma linha seguiria os discos Animal Magnetism em 1980, Blackout de 1982, Love at First Sting, em 1984, Savage Amusement em 1988. Com estes trabalhos demonstraram um som mais comercial, que lhes deram o reconhecimento mundial. Na década posterior os álbuns Crazy World e Face the Heat levantou-os à categoria de banda alemã de maior sucesso, mas passou pela saída de dois dos seus membros, Herman Rarebell e Francis Buchholz. 


Mas eles foram capazes de mudar seu som com os álbuns Pure Instinct e Eye II Eye, que mostraram um som renovado e um toque ainda mais suave em sua carreira. No novo milênio, os projetos sinfônicos Moment of Glory e Acoustica os colocam de volta ao cenário musical, bem como os discos Unbreakable de 2004 e Humanity: Hour I de 2007. A banda realizou uma grande turnê de despedida depois de lançar seu último álbum de estúdio Sting in the Tail de 2010, que durou até 2013.




Palhinha:



















2 comentários:

  1. O primeiro disco é bem diferente dos posteriores. É um típico hard made in germany, recheado com uns efeitos eletrônicos. De diferente também foi o uso constante de backing vocals. Outras diferenças= som do baixo em destaque, batido mais forte de bateria e percussão.

    O segundo disco é outro trabalho diferente, não bem hard, com pitadas espanholas, folk, progressivas, e Uli Jon Roth brilha com sua guitarra e suas composições.

    O som fica bem mais pesado com o "Virgin Killer".

    E após a saída de Uli Jon Roth, o Scorpions nunca mais foi o mesmo,embora ainda gravassem álbuns digeríveis como os "Love Drive" e "Animal Magnetism". O "Savage Amusement" é horrível. "Crazy World" até que não é ruim. E depois do "Face to The Heat", não mais acompanhei a carreira da banda, que assim como quase todas outras, teve seu auge de criatividade nos anos 70, caindo nas décadas posteriores.

    Um veneno que foi muito agradável aos ouvidos.

    Abraços venenosos a todos!

    ResponderExcluir
  2. Pseudo-Escorpião, grato pelo comentário-resenha da banda. Simplesmente excelente! O primeiro disco que ouvi foi o Tokyo Tapes e achei bom demais... Acompanhei até Love at First Sting, que é bom, mas igual aos primeiros... Mesma coisa com Judas... Os dois primeiros, com destaque para Sad wings... são espetaculares...

    Abraços e obrigado

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...