quinta-feira, 7 de junho de 2012

Rock Progressivo II

O Valvulado segue em frente... Gosto de vários tipos de música, como já devem ter percebido pela postagem eclética, porém o Rock Progressivo é meu som preferido. Este estilo de som nunca foi considerado ultrapassado e cada vez mais, aparecem bandas novas tocando Rock Progressivo. Segue umas bandas que sempre gostei, tenho o Vinil e digitalizei, há mais de dez anos...



Emerson, Lake & Palmer (ou ELP) é uma banda de rock progressivo britânica formada nos anos 70 por Keith Emerson (teclado), Greg Lake (guitarra, baixo e vocais) e Carl Palmer (bateria). Entrou para história da música por ser a primeira banda de rock a levar um sintetizador, na época um aparelho gigantesco, monofônico e analógico, para um show, em fins da década de 1960.




Eloy é uma banda alemã de rock progressivo, cujos estilos musicais incluem rock sinfônico e space rock, este último principalmente presente nos álbuns mais recentes. O nome da banda foi inspirado em Eloi, uma raça do futuro na novela A Máquina do Tempo, de H.G. Wells. Fundada no final dos anos 1960 pelo guitarrista Frank Bornemann, a banda sofreu várias mudanças, sendo Bornemann o único membro consistente do grupo. Foi inspirada por bandas como The Beatles, The Shadow e Pink Floyd, este último pelo tom de space rock que possuia na época. A princípio, a banda tocava hard rock, inspirada por temas políticos, mas logo passou para um som mais progressivo, com elementos de space. Baseado principalmente nos solos de guitarra de Bornemann, o som da banda também inclui o vasto uso de sintetizadores e coros.



Saga é um quinteto de Rock Progressivo do Canadá.



Jethro Tull é uma banda de rock formada em Blackpool em 1967. Sua música é caracterizada pelas letras, o estilo vocal cheio de maneirismos e o trabalho único na flauta de seu líder Ian Anderson, além de uma complexa e pouco usual construção musical. Inicialmente calcado no estilo blues rock, o Jethro Tull eventualmente incorporou a seu som elementos de música clássica, folk, jazz e art rock. A banda vendeu mais de 60 milhões de discos ao redor do mundo. Rock Progressivo de primeira....






Banda de Rock Progressivo da Inglaterra.
Pallas biography


PALLAS is, after MARILLION, and along with IQ and PENDRAGON, one of the most important acts of the Eighties Progressive rebirth. This is an energetic and magnificent neo progressive band in the style of IQ/MARILLION but with more edge. Their music is centered on melodic hooks, loud sound and great voice. "The Sentinel" brings a tint of pop in a still elaborate progressive spectrum.
Scottish prog band PALLAS definitely have one of the longest gaps between albums on record. They released their first album, "The Sentinel" in 1984 and followed it up with "The Wedge" two years later. Their next album, "Beat the Drum" (72 minutes of music with epic accents, rock rhythms and style, and ballads full of feeling), did not show up for 13 years. It will be followed by the wonderful "The Cross And The Crucible" in 2001. This album features all the things prog fans are looking for - atmospheric keyboards, great guitar tunes and a well working rhythm section - and last but not least an vocalist with an very own style. Highly recommended to fans of neo Progressive style.
(Extraído de http://www.progarchives.com/artist.asp?id=283 ).





E os grandes nomes do rock progressivo, que dominaram o cenário dos anos 1970, com seus shows épicos e apoteóticos? Eles não poderiam ficar de fora da lista, correto? Pois bem, os britânicos do Yes, talvez a banda que mais sintetize tudo aquilo que os fãs de progressivo gostam, está presente na lista, com um vinil triplo (sim, eles ousaram!): “Yessongs”, lançado em 1973, e gravado na tour do grandioso “Close To The Edge”. O disco traz Rick Wakeman em sua melhor forma, mostrando porque é considerado o grande mago dos teclados. O resto da banda, obviamente, não deixa por menos e arrebenta tudo. Os destaques são muitos (afinal, temos um disco triplo em mãos): “Heart Of The Sunrise”, “Siberian Kathru”, “And You And I”, “Roundabout”, “I’ve Seen All Good People”, “Starship Trooper” e, claro, “Close To The Edge”. Além dos magníficos solos de Wakeman e Steve Howe. “Yessongs” foi também filmado, obviamente com bem menos canções, e recentemente seu DVD podia ser encontrado até em bancas de jornais.
 
E estas são as postagens, rezando para não serem deletadas....

Um comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...