quarta-feira, 5 de dezembro de 2012

Jaco Pastorius- Essential Jaco (Bootleg)



Jaco Pastorius de nome próprio John Francis Anthony Pastorius III (Norristown, Pensilvânia, 1 de dezembro de 1951 - Fort Lauderdale, Flórida, 21 de setembro de 1987), foi um baixista de jazz norte-americano. É considerado por muitos como um dos mais influentes baixistas de todos os tempos.

Segue um excelente texto sobre Jaco de ( http://www.ejazz.com.br/detalhes-artistas.asp?cd=46 ).
Um daqueles garotos habilidosos que se dão bem em quase tudo que fazem, John Francis (Jaco) Pastorius era um sujeito de gênio agitado. Na adolescência aventurou-se na bateria tocando em bandas de Ft. Lauderdale, na Flórida, seguindo os passos de seu pai, também baterista. Alguns anos mais tarde, após uma fratura no braço esquerdo decorrente de sua agitada vida esportiva, resolve experimentar o contrabaixo elétrico e compra um em uma loja de penhores. Assim que começa a tocar sente incrível afinidade com o instrumento, algo muito mais forte que aquilo que sentia em relação ao piano ou saxofone que também tocava. É influenciado pelo r&b, rock e jazz, além da música caribenha que ouvia em seu primeiro emprego como músico, em um cruzeiro turístico que às vezes durava semanas, viajando pela costa do México, Haiti, Jamaica e Bahamas.
Um belo dia Jaco resolveu arrancar os trastes de seu baixo elétrico e inventou o baixo fretless, inovando a técnica e ampliando as possibilidades. Ou, como disse um crítico, trouxe maturidade ao instrumento. Foi o maior revolucionário do instrumento e um dos músicos mais ousados e criativos do (jazz?, funk? rock?), seja por sua maneira estarrecedoramente rápida de tocar, sonoridade inigualável ou pela maneira de compôr misturando estilos e timbres exóticos, o que o tornou um dos mais influentes e inovadores compositores de fusion.
No ínicio dos anos setenta foi contratado para o que seria seu primeiro emprego como músico profissional: tocar na banda de Ira Sullivan e na banda do Ft. Lauderdale Bachelor III Club, por onde passavam (e tocavam) muitos músicos proeminentes, entre eles seu futuro parceiro, Pat Metheny.
O Blood Sweat and Tears foi uma das bandas a tocar, em 1976, no Bachelor Club. Seu baterista Bobby Columby, impressionado com o talento de Jaco, arranjou com sua gravadora uma sessão em Nova Iorque, da qual resultou seu primeiro disco, intitulado simplesmente Jaco Pastorius. Participaram das gravações: Mike Gibbs, Don Alias, Herbie Hancock, Wayne Shorter e Hubbard Laws. Bobby Columby pode ser considerado o responsável pela entrada de Jaco para o Weather Report, uma vez que participou do seu disco o núcleo do grupo. No mesmo ano Jaco completa ao lado de Bob Moses o trio do primeiro disco de Pat Metheny.
Na época em que tocou com o BS&T (por um curto período antes entrar para o WR) praticamente todos os integrantes do grupo estavam consumindo muitas drogas, especialmente cocaína, exceto Jaco que se dizia naturalmente alucinado. Certa vez, quando se apresentavam em Tóquio, foi visto completamente nu e aos gritos sobre uma moto em alta velocidade.
Foi peça fundamental do Weather Report no periodo de 1976-1982, o mais fértil do grupo, exercendo grande influência sobre o pianista-tecladista Joe Zawinul. Após sair do Weather Report segue carreira solo liderando big bands e mostra grande inventividade como compositor, deixando clara sua herança musical e liberdade de espírito.
Ao que parece Jaco sofria de mania depressiva, o que o levou no começo dos anos 80 a beber, consumir cocaína e a perambular pela cidade. Seu temperamento irregular, por vezes nas alturas e por vez no mais fundo dos poços, somado à agressividade, o álcool e cocaína, prejudicaram imensamente sua carreira. Em 1987, após discutir com seguranças de um clube que não queriam deixá-lo entrar, morre vítima de espancamento. (Fernando Jardim).
 
Palhinha: 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...