terça-feira, 3 de março de 2015

Triumvirat - High Class Prog Rock


Triumvirat was a German progressive rock trio that formed in 1969 in Cologne, Germany. The founding members were: keyboardist/composer Hans-Jürgen (later simply Jürgen) Fritz (born March 13, 1953), drummer/lyricist Hans Bathelt, and bassist Werner Frangenberg. Triumvirat is the Latin word for a triumvirate, a grouping of three powerful men, thus referring to the musical trio. During its early years, Triumvirat initially played Top 40 songs at local venues in Cologne. The Nice and Emerson, Lake & Palmer heavily influenced Triumvirat’s musical direction and the band incorporated some of Nice/ELP music into their repertoire (Rondo among others). In fact, at the height of their fame during the 70’s prog rock era, Triumvirat was often referred to as the ‘German Emerson, Lake & Palmer’ or ‘ELP clone’ due to Fritz's classical virtuosity on keyboards and synthesizers.


In the early 1970s, the band sent a demo tape to EMI Records in Cologne and won their first record contract. Triumvirat subsequently produced modestly successful albums during the early to mid-1970s, including Mediterranean Tales: Across The Waters and Illusions on a Double Dimple and toured the United States with Fleetwood Mac to support Illusions on a Double Dimple, playing the album in its entirety. In 1975, Triumvirat reached the apex of their commercial success with the release of Spartacus, which is considered by many as a classic "prog rock" masterpiece album, along with Illusions on a Double Dimple. The band underwent numerous personnel changes over the course of its life and eventually disbanded in 1980 with the release of their final album Russian Roulette. In 2002, they planned to release The Website Story; however, the album was never released. An officially-authorized biography of the group was written by Russell Schenewerk and appears on www.triumvirat.net.



In spring 2012 EMI released the first ever Triumvirat compilation "Essential" with tracks from all of the seven albums. Vocalist/bassist Helmut Köllen (performing on the band's most successful albums, Illusions and Spartacus) left the band after Spartacus to pursue a solo career. On May 3, 1977, at the age of 27 (born March 2, 1950), he died from carbon monoxide poisoning while listening to some of his studio tracks in his car's cassette player while running the engine in his garage. His debut solo album You Won't See Me was released posthumously in October 1977.

Palhinha:












ProgRockVintage

4 comentários:

  1. As coincidências...
    Ontem estive com meu irmão que eu não via há algum tempo; o toque do telefone dele é Triangle (do Illusions on a Double Dimple); hoje de manhã, pensando no toque do telefone, botei pra rolar o Illusions... e o Spartacus.
    Pensei, ouvindo o Spartacus: pô, eles meio que são "cria" do ELP, mas fizeram esse disco que é melhor que os melhores do ELP.
    Só pra constar, eu nunca fui grande fã do ELP, gosto de muitas músicas, mas nunca os achei essa Coca-Cola toda. Entendo que muitos adorem, idolatrem, sei lá... Tanto que existem trocentas bandas que foram na cola do que eles fizeram. Mas, nunca foram meus preferidos.
    De qualquer maneira, o lance aqui é o Triumvirat e eu acho Spartacus uma obra-prima, onde arranjos, melodias, harmonias e virtuosismos estão à serviço da boa música, um álbum equilibradíssimo.
    Illusions on a Double Dimple tá no mesmo patamar, mas eu tenho uma predileção pelo Spartacus por motivos puramente sentimentais... rsrs
    Vou levar esse The Bonus Tracks só pra ver qualé...
    Grande post!
    Valeu!!

    ResponderExcluir
  2. Fala aí, Maddy Lee...
    O Spartacus é o melhor sem dúvidas; Foi um dos primeiros discos que tive (vinil), teve sua versão fita K7 para ouvir no carro, CD para a disqueteira de 6 CDs, MP3 gravado em CD regravável (CD-R), e agora está no IPOD, IPAD etcs... Já tive discussões homéricas sobre qual disco é o melhor com vários Brothers & Sisters. Discordo do ELP, cujos três primeiros discos têm a mesma história do Spartacus. Tem uma banda chamada Quill ( http://sommutante.blogspot.com.br/2013/11/quill-sursum-corda-1977.html ) que me lembrou o Spartacus. Se não conhece,, ouça aqui ( https://mega.co.nz/#!fRIlgLyb!ZzNRlW4pFdzt9t8Fqmg8fENis8tmguVIwDLWvfuzhfQ )..

    Um grande abraço...
    Justamente agora estou ouvindo o último do Van Der Graaf Generator (2015 - Merlin Atmos)... Muito bom, presente do amigo Peter Hammil.

    ResponderExcluir
  3. Sou fã do ELP. E na Itália é que foram mais na cola do som do trio.
    A Alemanha nos brindou com o Triumvifat(integrantes obesos hehehe).
    Meu predileto é também o SPARTACUS.
    Abraços

    ResponderExcluir
  4. Grande JavaMan!!
    Conheço esse Quill, o disco Sursum Corda é bem bão e, realmente, eles lembram mais o Triumvirat do que o ELP, vai entender... rsrsrsrs
    Tem outras bandas com o mesmo nome, Quill, mas logo saquei que só podia ser essa. Uma outra Quill lançou um álbum homônimo em 1970, mas o som é beeeeem diferente, um lance mais psicodélico.
    Uma outra é a The Quill, mas essa é sueca e toca um stoner rock bem bacana - não sei se é bem a sua praia, se for, vale uma orelhada.
    O meu problema com Emerson, Lake & Palmer é bem particular mesmo, mas não sou radical a ponto de torcer meu (grande!) nariz pra tudo o que fizeram, até porque sou completamente fã da voz do Greg Lake - meu amigo, a primeira vez em que ouvi o disco In The Court Of The Crimson King ainda está na minha memória graças à descoberta dessa incrível voz (e todo o resto, é claro!! rsrsrs).
    Valeu, meu camarada!
    PS: já baixei esse do VDGG e tá na fila pra audição!!

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...