sábado, 6 de junho de 2015

Dream Theater - Progressive Metal


Dream Theater (às vezes abreviado como DT) é uma banda de metal progressivo oriunda dos Estados Unidos e formada em meados dos anos 80. Tornaram-se numa das bandas do movimento progressivo, desde o auge do rock progressivo em meados dos anos 70. A banda é conhecida por ter músicos de excelente capacidade de composição e execução que ganharam vários prêmios por revistas especializadas. Colaboram com vários outros músicos de renome. Por exemplo, John Petrucci foi nomeado como o terceiro guitarrista do G3, juntamente com Steve Vai e Joe Satriani, seguindo a trilha de guitarristas como Eric Johnson, Robert Fripp e Yngwie Malmsteen. A banda entrou em turnê com diversas outras bandas, que incluem Iron Maiden, Joe Satriani, Marillion, Kansas, In Flames, Pain of Salvation, Porcupine Tree, Queensrÿche, Fear Factory, Enchant e Symphony X.


A banda foi fundada em meados da década de 1980, por alunos da "Berklee College of Music". Inicialmente formado por John Petrucci (guitarra) e John Myung (baixo), que depois conheceram Mike Portnoy (bateria) e decidiram fundar uma banda. Posteriormente chamam o vocalista Chris Collins e o tecladista Kevin Moore para completarem o grupo. Antes de se chamarem Dream Theater, sugestão do pai de Mike e nome de uma sala de espetáculos na Califórnia, eram conhecidos por Majesty. Este nome surgiu durante um concerto do Rush, durante a sua turnê Power Windows. John Petrucci, John Myung e Mike Portnoy dormiram na rua para poderem comprar ingressos para assistir ao espetáculo e ao ouvirem a canção Bastille Day surge o comentário de que aquela música era majestosa, ficando assim o nome. Contudo, descobriu-se que já existia uma banda de jazz com o mesmo nome. A banda lançou a sua primeira demo com seis músicas, uma amostra de seu metal progressivo com referências da música clássica que influenciaria muitas bandas no futuro. Após isso eles demitem o vocalista Chris Collins, que não conseguiu se adaptar ao estilo que a banda procurava. Para substituí-lo chamaram Charlie Dominici, e com essa formação gravaram o primeiro disco da banda, intitulado When Dream and Day Unite. O disco foi bem aceito pela crítica e bem difundido nas rádios, que possibilitou um reconhecimento dos fãs e shows em pequenos clubes, sempre lotados.


Novamente, por diferenças musicais e por ser bem mais velho do que os outros integrantes, despediram seu vocalista. Por um bom tempo não tiveram um vocalista fixo, mas mesmo assim não cessaram de compor novas músicas, nem de fazer apresentações mesmo instrumentais. As músicas instrumentais compostas dariam origem ao álbum Images and Words. Nesse período pela banda passaram no vocal John Arch, Steve Stone e Chris Cintron. Mas finalmente surgiria o vocalista ideal. Era Kevin Labrie, o vocalista da banda canadense Winter Rose. A partir de então se juntou a banda adotando o nome de James Labrie, no intuito de evitar confusões com Kevin Moore e não deixar a banda com dois Kevins e dois Johns. Em 1992, lançaram o Images and Words e então foram convidados para abrir alguns shows do Iron Maiden. Tiveram uma excelente recepção pela MTV e estouraram as vendas de “Images and Words” no Japão, levando a banda a fazer sua primeira turnê mundial. Quando estavam gravando o terceiro disco o tecladista Kevin Moore resolveu abandonar a banda para seguir carreira solo. Sem um substituto para Kevin, terminaram as gravações de Awake (álbum que contém a faixa "The Silent Man") (900.000 CDs vendidos), que rapidamente conquistou o mercado americano e europeu. Pouco depois o lugar de Moore seria ocupado por Derek Sherinian (que havia tocado em turnês com o Kiss e Alice Cooper).


Em 1995 foi lançado o EP A Change of Seasons, contendo a gigantesca faixa homônima (com seus 23:09 minutos) e ainda alguns covers: Funeral For a Friend/Love Lies Bleeding, de Elton John, "Perfect Strangers", do Deep Purple, as fusões de The Rover, Achilles Last Stand e The Song Remains The Same, do Led Zeppelin, e de In The Flesh?, Carry On My Wayward Son, Bohemian Rhapsody, Lovin Touchin, Squeezin, Cruise Control e Turn It On Again, respectivamente do Pink Floyd, Kansas, Queen, Journey, Dixie Dregs e Genesis) gravados ao vivo no Ronnie Scott's Jazz Club, em Londres. O quarto álbum, Falling into Infinity, chegou em 1997 com músicas um pouco mais melódicas, não tão agressivas quanto Awake. O disco apresenta um Dream Theater mais focado em canções (com passagens instrumentais tradicionais ainda) e acessibilidade devido a pressão da gravadora para que a banda tivesse sucesso comercial. O tiro saiu pela culatra, embora o disco mesmo em suas canções mais acessíveis seja excelente. Na verdade, é incorreto dizer que Derek Sherinian influenciou a banda a compor canções mais comerciais, já que ele compôs as partes mais técnicas do álbum. Basta também ver os discos solo do tecladista. Devido à pressão da gravadora, Mike Portnoy quis deixar a banda, mas foi convencido a ficar, já que ainda havia a turnê do álbum a ser realizada. No entanto, conforme já mencionado trata-se de um álbum excelente. Antes de o disco sair, a banda entrou em tour, inclusive passando pelo Brasil, em 1997. Em 1998, a banda lançou seu segundo disco ao vivo, 'Once In a Live Time. Um vídeo, nomeado 5 Years in a LiveTime surgiu também, com os principais momentos da banda nos últimos 5 anos. Após isso, o Dream Theater revelou que estava trocando de tecladista, alegando que com o disco ao vivo estavam encerrando uma fase de sua história e, por fim, inserindo Jordan Rudess no lugar de Derek.


Como toda grande banda, o Dream Theater teve seus altos e baixos, mas segue em frente... Hoje com a formação:
John Petrucci – guitarra, backing vocals (1985–presente)
John Myung – baixo, chapman stick (1985–presente)
James LaBrie – vocais (1991–presente)
Jordan Rudess – teclado, continuum fingerboard, keytar, harpejii, guitarra lap steel, aplicativo de música para iPad (incluíndo MorphWiz & GeoSynth), aplicativo Bebot para iPhone, seaboard (1999–presente)
Mike Mangini – bateria, percussão (2011–presente)





Um sonzaço, um Progressivo pesado, ou um metal mais progressivo, com músicos de primeira qualidade. Gosto de todos os álbuns. Seguem alguns...




Metropolis Pt. 2: Scenes from a Memory é o quinto álbum de estúdio lançado pela banda Dream Theater, em 1999. É o primeiro álbum da banda com a participação de Jordan Rudess no teclado. Trata-se de um álbum conceitual sobre o personagem Nicholas e a descoberta sua vida passada. A história é uma continuação da canção "Metropolis Pt. 1: The Miracle And The Sleeper", presente no segundo álbum da mesma banda, Images and Words. Entretanto, a intenção da banda não era escrever a segunda parte da canção, apesar da adição de "Pt. 1". Somente após pedidos de fãs que os integrantes decidiram continuar o trabalho. A idéia inicial era escrever outra canção ao invés de um álbum inteiro. Durante as sessões de gravação de Falling into Infinity em 1996 e 1997 a obra começou a ser desenvolvida. A banda gravou então uma sessão de 23 minutos com Derek Sherinian no teclado para ser desenvolvida posteriormente. Quando a banda voltou das turnês para trabalhar seu próximo álbum, retornaram à gravação anterior como base. Enquanto a banda estava em turnê após o lançamento do álbum, a obra era executada por completo. Em 2000, o concerto final na América do norte foi gravado e lançado em CD como Live Scenes from New York, e em DVD como Metropolis 2000: Scenes from New York. As influências de Scenes from a Memory incluem o ópera rock Tommy do The Who e os álbuns The Lamb Lies Down on Broadway do Genesis, Amused to Death de Roger Waters, OK Computer do Radiohead, Sgt. Pepper's Lonely Hearts Club Band do The Beatles, Misplaced Childhood do Marillion, The Wall e The Final Cut, ambas do Pink Floyd. Quase todos essas obras são também álbuns conceituais (exceto por OK Computer). Raramente existem pausas entre as canções, resultando em um efeito melhor de que de fato o álbum é uma história, somente separada em diferentes partes.
Metropolis Pt. 2: Scenes from a Memory é considerado um dos melhores álbuns da banda até a atualidade.







 Cover feito pelo Dream Theater, uma grande banda de Heavy Metal Progressivo (Prog Metal). Esta banda simplesmente adora Pink Floyd e no Dvd desse show o baterista Mike Portnoy aparece completemente emocionado, tocando as músicas do Dark Side...


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...